De carro pelo Velho Oeste – Parte 3: Monte Rushmore

Estamos chegando ao fim das aventuras de Gustavo e Edith pelo Velho Oeste americano. No post anterior, acompanhamos o intrépido casal desde Cody, a cidade de Buffalo Bill, até a misteriosa Devils Tower. Hoje eles chegarão ao destino final, Dakota do Sul, para visitar o célebre Mount Rushmore. Passo o bastão, mais uma vez, para Gustavo Monteiro:

 

“A apenas 30 minutos de Rapid City, Dakota do Sul, encontra-se o Monte Rushmore, com a efígie de quatro dos mais famosos presidentes americanos esculpidos na rocha viva.

Há uma ótima infraestrutura ao redor, com lanchonetes, bancos para descanso e toaletes em excelentes condições de higiene e limpeza.

Lanche com os presidentes, no Mount Rushmore
Lanche com os presidentes, no Mount Rushmore

Estivemos lá em setembro de 2013, a temperatura estava amena, agradabilíssima.

A entrada é paga e pode-se assistir a uma exibição de índios executando danças nativas. Os que se apresentaram diante de nós eram da tribo sioux, habitantes da região até a chegada dos europeus.

Índios Sioux exibem danças nativas
Índios Sioux exibem danças nativas

 

Paralisada há anos, há uma escultura não acabada, também em rocha viva, do grande chefe Cavalo Doido, que nasceu naquela região, da mesma tribo dos dançarinos, também denominada lakota ou dakota.

A efígie inacabada do Chefe Cavalo Doido, cenário para a dança dos índios Sioux
A efígie inacabada do Chefe Cavalo Doido, cenário para a dança dos índios Sioux

 

Pertinho de Rapid City, em Dakota do Sul, há a réplica de uma pequena capela norueguesa remontada naquela cidade americana pelos seus próprios projetistas. O madeirame foi transportado da Noruega para lá. É uma visita rapidíssima, que nos serviu para fazer uma prece agradecendo poder estar podendo viajar desfrutando de boa saúde e segurança.

A entrada é franca.”

Chapel in the Hills, South Dakota
Chapel in the Hills, South Dakota

 

Com tantas andanças na bagagem, acho que o Gustavo vai se tornar um colaborador regular do Roteiro Renatours. Só tenho a agradecer e esperar novas contribuições.

Um abraço e boas viagens!

Anúncios

Outono musical em Nova York

No post Poupando suspiros, contei um pouco como eu procedo para conferir a agenda cultural e comprar ingressos baseada nas datas programadas para uma viagem. Às vezes, porém, faço o caminho inverso. Algumas cidades são tão ricas do ponto de vista das artes e espetáculos, que vale à pena estabelecer as datas da visita a partir do que ela tem a oferecer.

Meus pais viajam regularmente com o objetivo de aproveitar a temporada de concertos e ópera, principalmente em Nova York. Como clientes VIP do Roteiro Renatours, eles sempre contam com opções avançadas de planejamento! 😉

Eles me passam uma época do ano aproximada: há alguns dias, por exemplo, fizeram a “encomenda” para uma semana em outubro, podendo transbordar um pouquinho para setembro.

Eu abro, então, a agenda das principais salas e escolho a semana com a melhor combinação de programas. Às vezes é difícil decidir, pois pode haver dois ou mais “incontornáveis” separados por um período de tempo inviável. Mas sempre dá para criar um mix excelente!

Este ano, foi moleza… Quase nem acreditei! Quando abri o site do Lincoln Center, lá estava ela… A Filarmônica de Berlim! Regida por Sir Simon Rattle, tocando a Paixão Segundo São Mateus, de Bach, justamente a peça favorita do meu pai (aliás, uma das mais belas da história da humanidade…). A partir daí, eu já sabia que todo o roteiro teria de ser construído em torno disso. Abri, então o Carneggie Hall e… Filarmônica de Berlim de novo! Tocando Schumann! Socorro!!!!! Também quero ir!!!! Mas nesta data estarei a trabalho na França, depois eu conto…

Bem, outubro é, ainda por cima, o auge da temporada de ópera na Metropolitan Opera House, e também do New York City Ballet (vão dançar Balanchine, a especialidade deles!).

Pra você ter uma ideia, a programação que criei para eles ficou assim:

 

5 de outubro: New York City Ballet, no Lincoln Center

6 de outubro: Filarmônica de Berlim (Schumann), no Carneggie Hall

7 de outubro: Bodas de Fígaro, na Metropolitan Opera House

8 de outubro: Filarmônica de Berlim (Bach), no Lincoln Center

9 de outubro: Carmen, na Metropolitan Opera House

10 de outubro: Musical da Broadway ou jantar especial

 

Eles comprarão as passagens para sexta-feira dia 3 de outubro. No dia da chegada, não tem programação, pois é muito cansativo. Sábado dia 11 de outubro, passagens de volta. Sucesso garantido.

 

No site da Metropolitan Opera, você pode ter uma visão global da agenda de cada mês
No site da Metropolitan Opera, você pode ter uma visão global da agenda de cada mês

 

Cada site informa a data e hora em que os ingressos para cada apresentação começarão a ser vendidos. É importante anotar na agenda e entrar no site assim que a venda estiver aberta. Quando comprei para o Lang Lang no Carneggie Hall, acessei com duas horas de “atraso” e os melhores lugares já tinham ido embora, restava menos da metade.

E então, quer tirar uma casquinha e copiar o programa? É melhor se apressar. Os ingressos para a Filarmônica no Lincoln Center estarão disponíveis a partir desta segunda-feira, 23 de junho, e devem se esgotar rapidamente!

 

Sir Simon Rattle, à frente da Filarmônica de Berlim
Sir Simon Rattle, à frente da Filarmônica de Berlim

 

O dia em que Renata virou Renatours

Nos últimos anos, tenho sido uma grande fornecedora de dicas de viagem. Perdi a conta de quantos cafés compartilhei, para ajudar pacientes, alunos e amigos a programar a viagem à Disney com os filhos, reservar um concerto em Paris, escolher a melhor opção para levar os netos. Até uma professora do meu filho recorreu a mim para o planejamento da lua de mel! Tenho e-mails semiprontos sobre várias cidades e informações na ponta da língua.

Durante uma sessão de fisioterapia, conversava sobre isso com meu queridíssimo paciente Gustavo Monteiro. Comentei, brincando, que um dia ainda abriria uma agência de turismo, ao que ele retrucou:

  • E vai se chamar Renatours!

Pronto, eu estava rebatizada. Todo mundo incorporou rapidamente o apelido, e passei a receber regularmente e-mails pedindo “consultoria Renatours”. Foi um outro paciente, o Bruno Marques, a primeira pessoa a me dizer:

  • Você TEM que fazer um blog!!!

Isso porque, também durante a sessão, eu esclareci mil dúvidas que ele tinha sobre duas viagens que estava planejando (Turks and Caicos com a esposa e Disney com toda a família).

Depois de ouvir esta frase repetidas vezes, das mais diferentes pessoas, resolvi me render. Toda viagem tem surpresas escondidas, mas é mais fácil encontrar os tesouros se soubermos quando e onde cavar. O objetivo deste blog é dividir com você minha forma de traçar mapas para estes tesouros, e eu te convido a cavar comigo.