Embarque autorizado para fisioterapeutas

Os preparativos começam a esquentar para os 40 brasileiros que vão para o norte da França em julho e agosto de 2015. O primeiro grupo fará sua reciclagem com o grande biomecanicista Philippe Campignion de 13 a 16 de julho, o segundo de 3 a 6 de agosto. Ontem, eu comprei minhas passagens. Vou com Alexandre e Dudu, de Air France, dia 11 de julho às 19:05 e só volto dia 8 de agosto às 23:25. Quem quiser pegar os mesmos vôos, pra ir com a gente no mesmo avião e trem, seja bem vindo! Estaremos presentes em ambos os cursos, não só porque estamos organizando, mas também porque serei responsável pela tradução para o português. Entre estas duas atividades, me restarão 17 lindos dias de verão para merecidas férias, que depois eu conto como serão… Se você quer mais informações sobre o curso, clique aqui!

No primeiro post que publiquei sobre o assunto das passagens, mostrei uma pesquisa de preços de bilhetes aéreos, com os links para as companhias. É preciso saber que pode haver alguma variação ao longo do tempo. Além disso, o euro andou subindo. Hoje, por exemplo, a Lufthansa já não está tão barata quanto antes. Por outro lado, o preço da Tap está excelente, apesar do vôo de volta ser diurno. É altamente recomendável refazer a pesquisa na hora de comprar. Sempre lembrando que a única que faz vôo direto Rio-Paris-Rio é a Air France.

A escolha da companhia aérea é uma questão de prioridades. Você encontra preços mais baixos nos sites de passagens, porém vai ter que encarar longas esperas em conexões. Talvez você possa se permitir pagar R$ 200,00 a mais por um vôo direto num horário conveniente. Ou talvez esse valor realmente faça diferença no seu orçamento. Ou ainda pode ser que você não dê a mínima para baldeações ou vôos diurnos e prefira, de fato, pagar mais barato. A questão é justamente essa: quão mais caro estou disposta a pagar pelo conforto de um vôo direto?

Como no outro post eu fiz a pesquisa baseada nas datas da primeira turma, desta vez vou privilegiar o pessoal da segunda. Não sei se a maioria vai querer passear antes ou depois do curso, então busquei de 1 a 8 de agosto, somente uma semana. Lembre-se de que a data limite de volta para aproveitar o desconto do evento na Air France é 11 de agosto. Ou seja, se você quer ficar um tempão curtindo a Europa e aproveitar a tarifa reduzida, é melhor programar o lazer antes do dever!  Atenção: mesmo tendo comprado o bilhete no site com a id do evento, é obrigatório apresentar o comprovante de inscrição no curso no balcão do check in.

Ontem, nosso bilhete da Air France com desconto para participantes do evento custou R$ 3.711,29 (11 de julho a 8 de agosto). A tarifa normal, para as mesmas datas, estava R$ 3893,82.

 

Vamos ver como fica a comparação com as demais em agosto?

 

Air France com desconto do evento, vôo direto: R$ 3372,52

Air France com desconto do evento, escala em Amsterdam na volta: R$ 3197,90

Air France sem desconto, vôo direto: R$ 3535,98

Lufthansa, conexão em Frankfurt: R$ 3284,17

Tam, conexão em Guarulhos: R$ 4677,33

Tap, conexão em Lisboa: R$ 2838,73

 

Pois é, a Tap está com um belo preço! Mas no site eles avisam que são poucos lugares por este valor. Pessoalmente, prefiro o vôo direto, ainda mais porque vou com criança. Aliás, um detalhe para quem está levando os filhos: a tarifa reduzida da Air France para o evento não faz o preço diferenciado para crianças. Isto significa que talvez não valha a pena… No meu caso, fizemos assim: o Alexandre comprou com o desconto, eu e Dudu fomos pela tarifa normal. Se você tentar comprar os adultos com o desconto e só as crianças na tarifa normal vai sair uma loucura, pois incidirá a taxa de menor desacompanhado, que é alta. Eu chequei a opção de comprar a passagem do Dudu por telefone, fornecendo o código de reserva dos pais no mesmo vôo, para não constar como desacompanhado. Isso até é possível, só que, neste caso, você paga taxa de emissão do bilhete, o que não ocorre na compra pela internet. Resumo da ópera, se você optar pela Air France: compre um adulto e as crianças na tarifa normal e o outro com o desconto. É a melhor opção, se a sua prioridade for um vôo direto e noturno, na ida e na volta, e se você estiver disposto a pagar esta diferença.

 

A Gare d'Arras, onde o Expresso GDS vai chegar! ;-)
A Gare d’Arras, onde o Expresso GDS vai chegar! 😉

 

Quanto às passagens de TGV (trem de alta velocidade) entre Paris e Arras, só é possível comprar com dois meses de antecedência. Quanto antes, maiores as chances de encontrar promoções. Você provavelmente pagará entre 17 e 25 euros cada “perna”.  É possível pegar o TGV tanto no próprio aeroporto quanto na Gare du Nord, em Paris. Mais perto eu dou notícias precisas sobre horários de trem e o esquema para ir da Gare d’Arras (gare = estação de trens) até os alojamentos e o Centre de Formation Philippe Campignion.

A única dificuldade será manter a turma concentrada no curso depois do almoço, onde normalmente a refeição é regada a certas especialidades da Bélgica e do norte da França…

 

Os alunos europeus bebem cerveja no intervalo do curso e aguentam o tranco. E os brasileiros, vão encarar?
Os alunos europeus bebem cerveja no intervalo do curso e aguentam o tranco. E os brasileiros?

 

Eu estou super animada, e você? 🙂

 

Anúncios

Fisioterapeutas a bordo

Dentro de um ano, 40 fisioterapeutas brasileiros realizarão um sonho: fazer um curso com o célebre professor Philippe Campignion, em seu próprio centro de formação, no norte da França. A partir de hoje, começarei a dedicar posts regulares a este projeto que venho desenvolvendo com tanta empolgação!

O curso será restrito a fisioterapeutas com formação completa no método de Cadeias Musculares e Articulares GDS. As vagas se esgotaram nas primeiras horas de divulgação. Conseguimos uma parceria com a Air France, que concederá desconto nas passagens de participantes e acompanhantes, e dentro de alguns dias poderemos dar a largada nos preparativos. Todas as informações estão no site da Kiné Clínica de Fisioterapia e Centro de Formação.

 

É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso
É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso

 

As atividades no pequeno vilarejo de Camblain l’Abbé durarão apenas 4 dias, sendo a primeira turma de 13 a 16 de julho e a segunda de 3 a 6 de agosto de 2015. É óbvio que ninguém vai se despachar para o outro lado do oceano pra bater lá e voltar, já soube até que vai ter uma caravana dos maridos… 🙂 Por isso, vou publicar muitas dicas sobre onde ir e o que fazer antes e depois de queimar os neurônios com os estudos de casos do nosso mago da biomecânica.

Estou disponível para ajudar também com as passagens de trem, é só me avisar!

 

A viagem de Paris a Arras dura 50 minutos no trem de alta velocidade (TGV)
cópia de Camblain
Da estação de trens em Arras, vamos de táxi até Camblain l’Abbé

 

Minha primeira visita à França foi em 1997. Uma viagem que mudou minha vida para sempre. Fui fazer minha formação em Cadeias Musculares e Articulares GDS, onde conheci Philippe Campignion, professor que se tornou minha grande referência profissional e com quem trabalho até hoje. Foi também a primeira grande viagem que planejei (os primórdios da Renatours), ainda na idade da pedra da internet. Depois do curso, passei um mês e meio de sonho, pela Europa, sozinha, foi uma experiência e tanto! Fiz outros pequenos cursos, rodei pela Provence e, principalmente, vivi uma das grandes emoções da minha história: o Festival de Salzburg, uma dos maiores ícones mundiais em música clássica. Mas tudo isso é tema para outras publicações…

Naquela época, quem quisesse aprender o Método GDS de Cadeias Musculares, tinha que iniciar o curso em São Paulo e depois fazer dois módulos super intensivos na Europa (um na França e outro na Bélgica). Isso durou até o ano 2000, quando passamos a ter a formação completa em São Paulo. Desde 2008, a formação acontece também aqui no Rio, sob minha coordenação e com uma equipe de professores super competente, e é por isso que eu viajo tanto para a França! Nestes 14 anos, mais de 300 fisioterapeutas se formaram no Brasil. E a gente começou a perceber que muitos tinham um desejo secreto… Conhecer pessoalmente o Centro de Formação Philippe Campignion, para beber diretamente da fonte. Mas como, sem falar francês?!

Foi então que pintou essa ideia bacana! Organizar um curso para fisioterapeutas brasileiros, lá em Camblain l’Abbé, com tradução para o português. A proposta fez tanto sucesso que tivemos de abrir uma segunda turma, e mesmo assim estamos com uma longa fila de espera. Estou desconfiada de que ainda faremos mais “excursões terapêuticas” deste tipo…

Enquanto isso, renovem seus passaportes e preparem-se para nossa contagem regressiva coletiva!

 

Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!
Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!