Aeroportos e estações de trem na França: modo de usar

Bem vindos à Gare du Nord, uma das principais Estações de Trem de Paris
Bem vindos à Gare du Nord, uma das principais Estações de Trem de Paris

Escrevo este post – bem “didático”, aliás – pensando na turma de fisioterapeutas brasileiros que vão fazer curso no Centre Philippe Campignion em julho. Entretanto, acredito que ele pode ser bastante útil para quaisquer outros viajantes que pretendam desbravar as estradas de ferro francesas.

Quem desembarca no Aeroporto Charles de Gaulle (ou mesmo em Orly) pode se sentir um pouco perdido frente às placas de sinalização. A primeira informação importante a reter é que existem basicamente dois tipos de estações (gares) de trens em Paris. As Gares SNCF são aquelas onde encontramos os trens de Grandes Linhas, isto é, que circulam entre diferentes cidades e países. Já os trens metropolitanos, os RER, partem de estações reguladas pela RATP, fazendo parte da mesma rede que inclui o metrô.

Ou seja: se você pretende sair do avião diretamente para o trem que te levará para cidades como Arras, Lyon, Brugges ou Amsterdan, partindo da estação de trem do próprio aeroporto, deve seguir as placas para a Gare SNCF. Se você vai ficar em Paris ou vai pegar um trem Grandes Linhas a partir de uma estação de trem no centro de Paris (como a Gare du Nord, a Gare de Lyon ou a Gare Montparnasse), deve seguir as placas “Paris by train” (RER). A única opção é o RER B (linha azul), que vai direto até a Gare du Nord. Caso prefira uma certa mordomia, o ponto de táxi também é muito bem sinalizado.

Placa de sinalização no corredor do Aeroporto Charles de Gaulle
Placa de sinalização no corredor do Aeroporto Charles de Gaulle

 

No caso da nossa turma animada, todo mundo vai pegar o trem na Gare du Nord rumo a Arras. Então, vou usar este percurso como exemplo, que vale para qualquer outro.

Quem tiver tempo de dar umas voltas em Paris antes de embarcar para o Norte, tem a opção de deixar as bagagens na estação. A Gare du Nord oferece este serviço. Basta seguir a placa “Consignes”.

Para deixar as bagagens na estação e dar umas voltas em Paris antes de embarcar, siga para "Consignes"
Para deixar as bagagens na estação e dar umas voltas em Paris antes de embarcar, siga para “Consignes”

 

Assim que você descer a escada rolante, verá a grande placa amarela indicando o local. Os valores vão de 5,50 a 9,50 euros por mala, dependendo do tamanho, e valem por 24 horas. Após esse período, são mais 5 euros por dia. O serviço de depósito de bagagens também está disponível nos aeroportos e demais estações ferroviárias.

IMG_5509
Depósito de bagagens na Gare du Nord

 

Chegado o momento de seguir viagem? Caso você tenha comprado seu bilhete pela internet e impresso o e-billet, é só embarcar. Não precisa apresentar o ticket na entrada do trem, mas deve tê-lo à mão caso o controlador o solicite durante o trajeto, o que acontece com grande frequência. Se você não o tiver, estará sujeito a uma bela multa.

Se você comprou a passagem na própria estação, terá de validá-la em uma das maquininhas amarelas que ficam na ponta de cada plataforma.

Ao chegar à Estação, você verá o painel das chegadas (arrivées) e partidas (départs). Você deve buscar seu horário de partida e o número do trem, e não sua cidade de destino, pois esta pode ser uma parada no meio de um percurso mais longo e, no painel, só constará o destino final. No exemplo da fotografia abaixo, eu estava indo para Arras no TGV (trem-bala) número 7141, das 17:46. No painel, neste horário, constava Valenciennes, mas o número do trem era o mesmo (não aparece na foto, mas apareceu logo em seguida, alternando com o aviso de que estava no horário – à l’heure). Pronto, sem stress! É só aguardar o número da plataforma (voie), que só aparece entre 10 e 20 minutos antes do horário. Observe que, no painel da figura, somente os três primeiros trens já têm plataforma definida, são os números nos quadradinhos à direita. Por isso é bom ficar ligado, pois você em geral não terá muito tempo para se dirigir à plataforma e embarcar.

Chegadas e Partidas na Gare du Nord

Quando seu quadradinho aparecer, é só rumar para a plataforma correta e aguardar o embarque, estando atento ao número do vagão (voiture) impresso no seu bilhete.

TGV para Arras, prontos para o embarque!
TGV para Arras, prontos para o embarque!

Ao chegar na Gare d’Arras, você também terá pouco tempo para saltar do trem, então é bom se dirigir à saída (junto à qual estão os porta-bagagens) com uns minutinhos de antecedência: é só conferir no seu bilhete o horário de chegada e ter em mente de que eles são extremamente pontuais.

Você vai descer na plataforma e terá de cruzar para o outro lado, para chegar à saída. Se você não curte a ideia de subir e descer escadas carregando sua mala, pode pegar o elevador. Coloquei uma foto dele aqui, pra facilitar.

Elevador na plataforma da Gare d'Arras
Elevador na plataforma da Gare d’Arras

Você desce pro nível inferior e sai num corredor comprido, com outros elevadores.

Passando por baixo da estrada de ferro
Passando por baixo da estrada de ferro

Para não se enganar, siga a placa para a saída (Sortie) da Pl. Marechal Foch.

Escolhendo a saída correta
Escolhendo a saída correta

Você vai saltar do elevador diretamente no saguão da Gare d’Arras, onde está o ponto de encontro do nosso grupo: o café Pomme de Pain (aliás, o único da pequena estação…). Você já notou que, na fotografia, aparece o painel igualzinho ao da Gare du Nord, o procedimento na volta será o mesmo…

Saguão da Gare d'Arras: ponto de encontro dos fisioterapeutas brazucas!
Saguão da Gare d’Arras: ponto de encontro dos fisioterapeutas brazucas!

Agora é fazer as malas, dar aquela última revisada na biomecânica e partir pra aventura. Estaremos esperando por vocês!

Eu e Lori Campignion, as produtoras da farra!
Eu e Lori Campignion, as produtoras da farra!
Anúncios