Croissants e macarrons

Este é o último post da série sobre o ritual do chá em Londres e Paris. Os lugares que vou citar hoje têm uma particularidade: ao contrário do Mariage Frères, tema do texto anterior, onde o chá propriamente dito é a “diva” absoluta, nestas casas a gulodice fala mais alto. Eles até oferecem chás deliciosos, mas você não irá até lá por causa disso, e sim pelas guloseimas inesquecíveis ou pelo local em si.
É o caso dos macarrons Ladurée, uma verdadeira instituição parisiense. Você os come com a boca e, principalmente, com os olhos. O de cereja é uma perdição. Ainda mais acompanhado de um chá de violeta, que eu sempre trago pra casa. Existem salões de chá Ladurée em diversos lugares, inclusive dentro das lojas de departamentos. Eu costumo frequentar o da Rue Bonaparte. Aliás, tornou-se uma tradição para mim: como o vôo chega de manhã, largo as malas no hotel e,  já que ainda não é hora do check in, vou tomar um brunch neste pequeno paraíso. A omelette que eles servem lá é a melhor que eu já comi na vida! E as viennoiseries… Não perca o croissant de pistache e amêndoas. Sem contar que o ambiente e a decoração são uma verdadeira viagem à belle époque. Atração incontornável!

 

Café da manhã na Maison Ladurée
Café da manhã na Maison Ladurée
IMG_1519
A viagem era a trabalho, mas me diverti muito com Mônica e Pat, tomando um brunch na Ladurée da Rue Bonaparte!

 

Ladurée na loja de departamentos Printemps
Ladurée na loja de departamentos Printemps

 

Outro local que gosto bastante, especialmente quando a idéia não é me perder em um ritual gastronômico sem hora para acabar, é o Paul. Tem em tudo quanto é canto, inclusive na estação de trem dentro do aeroporto. É o que eu mais frequento, aliás, pois muitas vezes, em minhas viagens de trabalho, nem chego a passar em Paris, vou direto para Arras. Eu sei, quase uma heresia, descer em Charles de Gaulle e não colocar meus pezinhos de fada na Cidade Luz (como diria minha amiga Anna). Mas nem sempre é possível… Enfim, o Paul também tem ótimos croissants, macarrons e sanduíches, além de opções de café da manhã ou brunch.

Um lugar especial, que eu conheço há pouco tempo, é o Museu Jacquemart-André. É um palacete belíssimo, que pertenceu a um casal de colecionadores de arte, e permanece decorado como no tempo em que eles lá viviam, no final do século XIX. Além dos móveis e objetos que te transportam para a vida deles, como em uma máquina do tempo, o acervo de obras de arte é de fato impressionante, principalmente se levarmos em conta que é uma coleção particular. Esta visita encantadora inclui um salão de chá, com vista para o jardim, onde você encontrará sanduíches, saladas e doces franceses de tirar o fôlego. O museu fica no Boulevard Haussmann 158. Todas as informações práticas estão disponíveis no website.

 

Mamãe escolheu a tartelette de amoras, no Café Jacquemart-André
Mamãe escolheu a tartelette de amoras, no Café Jacquemart-André

 

Finalmente, se você não está muito a fim de chá, pode experimentar o melhor chocolate quente de Paris, na Maison Angelina. Um salão decorado com o máximo requinte, atendimento excelente e a fina flor da patisserie francesa completam a receita para uma experiência inesquecível.

Difícil será escolher, entre todas essas delícias…

Anúncios

Muffins ou madeleines?

Eu sou louca por chá. Desde criança, quando minha mãe saía mais cedo do trabalho às quartas-feiras e me levava ao Lord Jim Pub, em Ipanema, onde a inglesa Anne Philipps servia o tradicional chá completo, à moda britânica. Já na casa dos 20 anos, descobri os encantos do chá francês, graças a uma das mais belas passagens da literatura universal. O personagem de “Em Busca do Tempo Perdido” se vê invadido pelas reminiscências de uma vida inteira, a partir de uma experiência sensória deflagrada pelo cheiro e o sabor de uma madeleine mergulhada em chá de tília. Desde que tive o privilégio de ler Marcel Proust, cada madeleine mergulhada no chá é, para mim, uma experiência existencial.

Bem, este post não é sobre literatura e muito menos sobre minhas vivências pessoais, mas todos esses preâmbulos têm a intenção de deixar claro o espaço que o chá ocupa em minha vida. Porque os lugares que vou indicar para vocês são realmente especiais para mim. E estão localizados nas duas cidades que disputam, centímetro a centímetro, a posse do meu coração. Tanto que vou dividir este texto em duas partes, uma para cada cidade.

Vamos começar por Londres. Em Picadilly, desde 1707, existe um reino encantado para os amantes do chá. Um belíssimo edifício de seis andares, onde são produzidos todos os chás, biscoitos, geléias e bolos que abastecem o Palácio de Buckingham. A Fortnum and Mason funciona como uma loja de departamentos, dividida em sessões de biscoitos, chocolates, frios, louças, acessórios de cozinha, cestas de piquenique e muitas outras, além do chá, é claro. Este lugar de sonho conta com seis restaurantes, que vão desde uma sorveteria e um wine bar até o The Diamond Jubilee Tea Salon, que eles descrevem, apropriadamente, como um ícone britânico. Quando fiz 40 anos, em 2012, propus à minha mãe uma viagem só nós duas, para desfrutarmos nossas maiores paixões em comum: ballet e chá. Ainda contarei muitos detalhes em posts futuros, mas já posso adiantar que fizemos uma grande comemoração no chá das cinco deste salão fantástico, recentemente reformado em homenagem ao jubileu de diamante da rainha Elizabeth II. Ali, a tradição é respeitada em cada receita, na maneira de servir, na decoração, em todos os detalhes. Você pode visualizar os cardápios e fazer sua reserva pelo site. Só não esqueça de destinar um tempo para passear pela loja, você nunca viu tantas delícias reunidas num mesmo local!

 

A fachada da Fortnum and Mason, em Piccadilly
A fachada da Fortnum and Mason, em Piccadilly, enfeitada para o Jubileu da rainha

 

Tradição nos mínimos detalhes
Tradição nos mínimos detalhes

 

IMG_0348
Scones que derretem na boca, mini-sanduiches, pequenas delícias…

 

Trouxe  para casa o Jubilee Tea Blend, criado especialmente para homenagear os 60 anos do reinado de Elizabeth II
Trouxe para casa o Jubilee Tea Blend, criado especialmente para homenagear os 60 anos do reinado de Elizabeth II

 

IMG_0357
Uma forma britânica de comemorar a chegada aos 40!

 

Um lugar muito simpático para o chá das cinco é, também, a famosa loja de departamentos Harrods. Há diversas opções, espalhadas nos sete andares, que oferecem desde lanches rápidos até jantares requintados. Para o chá, há o Georgian Restaurant, o The Tea Room e o The Harrods Terrace, entre outros.

 

Eu e Alexandre escolhemos o Georgian Restaurant, enquanto Dudu dormia no carrinho.
Eu e Alexandre escolhemos o Georgian Restaurant, enquanto Dudu dormia no carrinho.

 

Se a ideia é comprar chá para levar pra casa, meu lugar favorito é The Tea Palace, que fica no Convent Garden. Eles têm um Earl Grey with blue flowers que é de beber suspirando. A loja é uma experiência sensorial, os chás ficam em recipientes de vidro para que você sinta os aromas e veja a beleza das misturas de folhas. A maior parte dos meus acessórios foram comprados lá (infusores, coadores, medidores…).

 

No cantinho do chá que tenho na cozinha, há lugar reservado para as latinhas The Tea Palace
No cantinho do chá que tenho na cozinha, há lugar reservado para as latinhas The Tea Palace

 

A loja da Twinnings, a marca inglesa de chá mais conhecida no Brasil, foi uma decepção para mim. Achei totalmente sem graça. Entretanto, eles fizeram uma enorme reforma, que inclui a criação de um museu do chá, então imagino que agora seja um bom programa. Preciso voltar a Londres para conferir!

Eles continuam não tendo salão de degustação, então é só para comprar chá e acessórios. A novidade é que você pode escolher saquinhos avulsos para compor sua caixa, embora o chá em folhas seja bem melhor. Inclusive, se você está acostumado a comprar Twinnings no Brasil, saiba que o de lá é diferente: eles têm uma linha para exportação mais adaptada ao paladar internacional. Meu favorito da marca é o Lady Grey, e eu prefiro o que compro por lá.

De toda forma, você pode tomar chá com scones, muffins e short breads (os tradicionais biscoitos amanteigados escoceses) em qualquer lugar da Inglaterra. Dificilmente você sairá decepcionado, ainda que tenha escolhido um lugarzinho simples, que encontrou pelo caminho. Até mesmo no hotel, experimentei scones de tirar o fôlego, num típico ambiente vitoriano. Os ingleses realmente sabem valorizar as tradições, e mantê-las vivas para que possamos desfrutá-las. God save the queen!

No próximo post, vou te convidar para um chá em Paris. Você topa?