Respirando ares franceses (post-índice)

Há 2 anos, duas turmas de brasileiros foram ao Pas de Calais, no norte da França, para fazer um curso de pós-formação em Cadeias Musculares e Articulares GDS, com um dos mais célebres fisioterapeutas da atualidade, o professor Philippe Campignion.

O post Fisioterapeutas a bordo foi o primeiro que escrevi no modo “guia de turismo fisioterapêutico” (kkkk) e conta um pouco da história deste projeto delicioso.

É hora de partir novamente com um bando de fisioterapeutas e educadores físicos brasucas, desta vez para um curso sobre a Respiração. Faltam menos de 4 meses, a aventura começa dia 11 de novembro.

 

IMG_4218
Lori Campignion com Dominique, dona do Chez Mimi, um dos albergues que vão receber nossa turma em novembro

 

Parceria com a Air France para desconto nas passagens; bilhetes de trem para Arras comprados, para todos no mesmo vagão; albergues exclusivos reservados em Camblain l’Abbé; carros alugados pra transportar a galera entre o Centre Philippe Campignion e o nosso querido restaurante La Rénardière (onde almoçaremos todos os dias)…. Preparativos finalizados! É só arrumar as malas!  Respirem fundo e preparem-se para ares gelados!

 

IMG_4202
Eu e o mestre Philippe Campignion, esperando vocês no reduto brasuca do Pas de Calais!

Encerrando oficialmente os trocadilhos com o tema do curso, organizei este post-índice para dar um pouco de inspiração àqueles que ainda não planejaram o pré e pós, e também para já dar um gostinho antes da partida. É só clicar no título para abrir o texto. E seja bem vindo a comentar e contribuir. Mesmo que você não vá estudar com a gente em Camblain, pode aproveitar as dicas. Afinal, não se vai a Paris somente pra trabalhar, né? 😉

 

Sobre Paris

Algumas dicas essenciais de Paris

Para não dar com a cara na porta: dias de fechamento das principais atrações de Paris

Museus em Paris que valem a visita – Parte 1

Museus em Paris que valem a visita – Parte 2

Museus em Paris que valem a visita – Parte 3

Museu Nacional de História Natural: um programa diferente em Paris

5 lojas de roupa de criança em Paris

5 lojas de brinquedos em Paris

5 dicas de uma chef brasileira em Paris

Pascade: uma experiência gastronômica única em Paris

Croissants e macarons

A arte francesa do chá

 

Sobre transportes, estações e planejamento em geral

Deslocamentos dentro da Europa: de trem ou de avião?

Aeroportos e estações de trem na França: modo de usar

Passo a passo para comprar sua passagem com o desconto especial do evento

Embarque autorizado para fisioterapeutas

 

Sobre Arras e o Centre de Formation Philippe Campignion

Fisioterapeutas a bordo

Diretamente do Norte da França!

Ainda pelo Norte da França

 

Sobre um toque especial e viajar com crianças

10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar

Dicas básicas para viajar com crianças

Poupando suspiros

Formulando encantamentos

Um dia (feliz) no museu

O que meu filho aprendeu viajando

 

 

IMG_4205
Centre de Formation Philippe Campignion. Vai estar frio, mas é sempre lindo!
Anúncios

Aeroportos e estações de trem na França: modo de usar

Bem vindos à Gare du Nord, uma das principais Estações de Trem de Paris
Bem vindos à Gare du Nord, uma das principais Estações de Trem de Paris

Escrevo este post – bem “didático”, aliás – pensando na turma de fisioterapeutas brasileiros que vão fazer curso no Centre Philippe Campignion em julho. Entretanto, acredito que ele pode ser bastante útil para quaisquer outros viajantes que pretendam desbravar as estradas de ferro francesas.

Quem desembarca no Aeroporto Charles de Gaulle (ou mesmo em Orly) pode se sentir um pouco perdido frente às placas de sinalização. A primeira informação importante a reter é que existem basicamente dois tipos de estações (gares) de trens em Paris. As Gares SNCF são aquelas onde encontramos os trens de Grandes Linhas, isto é, que circulam entre diferentes cidades e países. Já os trens metropolitanos, os RER, partem de estações reguladas pela RATP, fazendo parte da mesma rede que inclui o metrô.

Ou seja: se você pretende sair do avião diretamente para o trem que te levará para cidades como Arras, Lyon, Brugges ou Amsterdan, partindo da estação de trem do próprio aeroporto, deve seguir as placas para a Gare SNCF. Se você vai ficar em Paris ou vai pegar um trem Grandes Linhas a partir de uma estação de trem no centro de Paris (como a Gare du Nord, a Gare de Lyon ou a Gare Montparnasse), deve seguir as placas “Paris by train” (RER). A única opção é o RER B (linha azul), que vai direto até a Gare du Nord. Caso prefira uma certa mordomia, o ponto de táxi também é muito bem sinalizado.

Placa de sinalização no corredor do Aeroporto Charles de Gaulle
Placa de sinalização no corredor do Aeroporto Charles de Gaulle

 

No caso da nossa turma animada, todo mundo vai pegar o trem na Gare du Nord rumo a Arras. Então, vou usar este percurso como exemplo, que vale para qualquer outro.

Quem tiver tempo de dar umas voltas em Paris antes de embarcar para o Norte, tem a opção de deixar as bagagens na estação. A Gare du Nord oferece este serviço. Basta seguir a placa “Consignes”.

Para deixar as bagagens na estação e dar umas voltas em Paris antes de embarcar, siga para "Consignes"
Para deixar as bagagens na estação e dar umas voltas em Paris antes de embarcar, siga para “Consignes”

 

Assim que você descer a escada rolante, verá a grande placa amarela indicando o local. Os valores vão de 5,50 a 9,50 euros por mala, dependendo do tamanho, e valem por 24 horas. Após esse período, são mais 5 euros por dia. O serviço de depósito de bagagens também está disponível nos aeroportos e demais estações ferroviárias.

IMG_5509
Depósito de bagagens na Gare du Nord

 

Chegado o momento de seguir viagem? Caso você tenha comprado seu bilhete pela internet e impresso o e-billet, é só embarcar. Não precisa apresentar o ticket na entrada do trem, mas deve tê-lo à mão caso o controlador o solicite durante o trajeto, o que acontece com grande frequência. Se você não o tiver, estará sujeito a uma bela multa.

Se você comprou a passagem na própria estação, terá de validá-la em uma das maquininhas amarelas que ficam na ponta de cada plataforma.

Ao chegar à Estação, você verá o painel das chegadas (arrivées) e partidas (départs). Você deve buscar seu horário de partida e o número do trem, e não sua cidade de destino, pois esta pode ser uma parada no meio de um percurso mais longo e, no painel, só constará o destino final. No exemplo da fotografia abaixo, eu estava indo para Arras no TGV (trem-bala) número 7141, das 17:46. No painel, neste horário, constava Valenciennes, mas o número do trem era o mesmo (não aparece na foto, mas apareceu logo em seguida, alternando com o aviso de que estava no horário – à l’heure). Pronto, sem stress! É só aguardar o número da plataforma (voie), que só aparece entre 10 e 20 minutos antes do horário. Observe que, no painel da figura, somente os três primeiros trens já têm plataforma definida, são os números nos quadradinhos à direita. Por isso é bom ficar ligado, pois você em geral não terá muito tempo para se dirigir à plataforma e embarcar.

Chegadas e Partidas na Gare du Nord

Quando seu quadradinho aparecer, é só rumar para a plataforma correta e aguardar o embarque, estando atento ao número do vagão (voiture) impresso no seu bilhete.

TGV para Arras, prontos para o embarque!
TGV para Arras, prontos para o embarque!

Ao chegar na Gare d’Arras, você também terá pouco tempo para saltar do trem, então é bom se dirigir à saída (junto à qual estão os porta-bagagens) com uns minutinhos de antecedência: é só conferir no seu bilhete o horário de chegada e ter em mente de que eles são extremamente pontuais.

Você vai descer na plataforma e terá de cruzar para o outro lado, para chegar à saída. Se você não curte a ideia de subir e descer escadas carregando sua mala, pode pegar o elevador. Coloquei uma foto dele aqui, pra facilitar.

Elevador na plataforma da Gare d'Arras
Elevador na plataforma da Gare d’Arras

Você desce pro nível inferior e sai num corredor comprido, com outros elevadores.

Passando por baixo da estrada de ferro
Passando por baixo da estrada de ferro

Para não se enganar, siga a placa para a saída (Sortie) da Pl. Marechal Foch.

Escolhendo a saída correta
Escolhendo a saída correta

Você vai saltar do elevador diretamente no saguão da Gare d’Arras, onde está o ponto de encontro do nosso grupo: o café Pomme de Pain (aliás, o único da pequena estação…). Você já notou que, na fotografia, aparece o painel igualzinho ao da Gare du Nord, o procedimento na volta será o mesmo…

Saguão da Gare d'Arras: ponto de encontro dos fisioterapeutas brazucas!
Saguão da Gare d’Arras: ponto de encontro dos fisioterapeutas brazucas!

Agora é fazer as malas, dar aquela última revisada na biomecânica e partir pra aventura. Estaremos esperando por vocês!

Eu e Lori Campignion, as produtoras da farra!
Eu e Lori Campignion, as produtoras da farra!

França 2015: é hora de pensar nas passagens!

Fiz uma pesquisa de preços da passagem Rio-Paris-Rio, em diversas companhias aéreas, para checar se o desconto que a Air France está oferecendo aos participantes do curso de reciclagem no Centre de Formation Philippe Campignion é, de fato, vantajoso. Mesmo que você não faça parte do grupo que vai partir nessa “peregrinação”, poderá aproveitar para ter uma ideia da diferença de valores entre as principais empresas, caso também esteja planejando ir à Cidade Luz no ano que vem.

Quero deixar claro que não estou recebendo nenhuma comissão da Air France. Meu desconto no bilhete será igual ao dos outros participantes. Existe a possibilidade, de acordo com as vendas vinculadas ao evento, de que eu ganhe uma passagem para outra ocasião, mas isto é bastante improvável, pois seria necessária uma quantidade de bilhetes desproporcional às dimensões do nosso curso. Enfim, firmei a parceria com a Air France para beneficiar a todos nós, juntos, como grupo que somos.

Para quem acha que eu estou meio adiantada no planejamento, vale lembrar que uma passagem com milhas deve ser adquirida com a máxima antecedência, principalmente se não há muita margem para flexibilidade de datas. Conhecer os valores pode ajudar àqueles que estão na dúvida se usam seus programas de milhagem ou deixam para uma melhor oportunidade. Julho e agosto na Europa é alta temporada, são necessários mais pontos do que em outras épocas, então pode valer mais à pena pagar esta passagem e gastar as milhas para uma viagem com acompanhante, em outra ocasião. Além disso, muitas vezes a compra bastante antecipada pode garantir melhores preços. Se você não tem milhas suficientes para o bilhete de ida e volta, saiba que  utilizá-las apenas para o bilhete de ida não é vantajoso, o custo de uma “perna” é quase igual ao de ida e volta. Por todas essas razões, acho importante conhecer, desde já, o panorama geral de valores dos bilhetes.  Isso pode ajudar a escolher, a tempo, a melhor maneira de realizar o sonho de beber na fonte das Cadeias Musculares e Articulares GDS!

Sem levar em consideração o custo, cabe dizer que a Air France tem uma vantagem importante em relação às outras: é a única que faz  vôo direto. Ou seja, se os preços forem equivalentes, a Air France ganha pela comodidade (e pelos lanchinhos deliciosos…).

Utilizei, na pesquisa, as mesmas datas de ida e volta, de 11 de julho a 1 de agosto de 2015 (ambas no sábado), saindo do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Os resultados foram:

 

Air France (sem o desconto): R$ 3832,70

Air France (com o desconto, vôo direto): R$ 3653,41

Air France (com o desconto, com escala em Amsterdam só na volta): R$ 3527,08

Lufthansa (escala em Frankfurt): R$ 3505,33

Tam (escala em Guarulhos): R$ 4381,12

Iberia / British Airways (escala em Madrid /  Londres): R$ 4320,84

Tap (escala em Lisboa): bizarros R$ 8640,61

 

Ou seja, para quem não é participante (ou acompanhante) do curso de cadeias musculares, a Lufthansa sem dúvida oferece melhor preço. Com o desconto do evento, o valor da Air France se aproxima, mas não empata. A grande vantagem é ser vôo direto. Não esqueça de imprimir o e-mail de confirmação da inscrição no curso, ele pode ser solicitado no aeroporto como justificativa da tarifa promocional. Os acompanhantes também têm direito ao benefício.

Ficou mais fácil decidir? Agora é hora de começar o planejamento concreto! Quem precisar de ajuda, é só pedir aqui nos comentários.

Bons preparativos!

 

A última vez que a galera das cadeias musculares invadiu o Aeroporto Charles de Gaulle foi no Congresso Internacional da APGDS, em 2010. É hora de repetir a dose!
A última vez que a galera das cadeias musculares invadiu o Aeroporto Charles de Gaulle foi no Congresso Internacional da APGDS, em 2010. É hora de repetir a dose!

 

 

Fisioterapeutas a bordo

Dentro de um ano, 40 fisioterapeutas brasileiros realizarão um sonho: fazer um curso com o célebre professor Philippe Campignion, em seu próprio centro de formação, no norte da França. A partir de hoje, começarei a dedicar posts regulares a este projeto que venho desenvolvendo com tanta empolgação!

O curso será restrito a fisioterapeutas com formação completa no método de Cadeias Musculares e Articulares GDS. As vagas se esgotaram nas primeiras horas de divulgação. Conseguimos uma parceria com a Air France, que concederá desconto nas passagens de participantes e acompanhantes, e dentro de alguns dias poderemos dar a largada nos preparativos. Todas as informações estão no site da Kiné Clínica de Fisioterapia e Centro de Formação.

 

É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso
É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso

 

As atividades no pequeno vilarejo de Camblain l’Abbé durarão apenas 4 dias, sendo a primeira turma de 13 a 16 de julho e a segunda de 3 a 6 de agosto de 2015. É óbvio que ninguém vai se despachar para o outro lado do oceano pra bater lá e voltar, já soube até que vai ter uma caravana dos maridos… 🙂 Por isso, vou publicar muitas dicas sobre onde ir e o que fazer antes e depois de queimar os neurônios com os estudos de casos do nosso mago da biomecânica.

Estou disponível para ajudar também com as passagens de trem, é só me avisar!

 

A viagem de Paris a Arras dura 50 minutos no trem de alta velocidade (TGV)
cópia de Camblain
Da estação de trens em Arras, vamos de táxi até Camblain l’Abbé

 

Minha primeira visita à França foi em 1997. Uma viagem que mudou minha vida para sempre. Fui fazer minha formação em Cadeias Musculares e Articulares GDS, onde conheci Philippe Campignion, professor que se tornou minha grande referência profissional e com quem trabalho até hoje. Foi também a primeira grande viagem que planejei (os primórdios da Renatours), ainda na idade da pedra da internet. Depois do curso, passei um mês e meio de sonho, pela Europa, sozinha, foi uma experiência e tanto! Fiz outros pequenos cursos, rodei pela Provence e, principalmente, vivi uma das grandes emoções da minha história: o Festival de Salzburg, uma dos maiores ícones mundiais em música clássica. Mas tudo isso é tema para outras publicações…

Naquela época, quem quisesse aprender o Método GDS de Cadeias Musculares, tinha que iniciar o curso em São Paulo e depois fazer dois módulos super intensivos na Europa (um na França e outro na Bélgica). Isso durou até o ano 2000, quando passamos a ter a formação completa em São Paulo. Desde 2008, a formação acontece também aqui no Rio, sob minha coordenação e com uma equipe de professores super competente, e é por isso que eu viajo tanto para a França! Nestes 14 anos, mais de 300 fisioterapeutas se formaram no Brasil. E a gente começou a perceber que muitos tinham um desejo secreto… Conhecer pessoalmente o Centro de Formação Philippe Campignion, para beber diretamente da fonte. Mas como, sem falar francês?!

Foi então que pintou essa ideia bacana! Organizar um curso para fisioterapeutas brasileiros, lá em Camblain l’Abbé, com tradução para o português. A proposta fez tanto sucesso que tivemos de abrir uma segunda turma, e mesmo assim estamos com uma longa fila de espera. Estou desconfiada de que ainda faremos mais “excursões terapêuticas” deste tipo…

Enquanto isso, renovem seus passaportes e preparem-se para nossa contagem regressiva coletiva!

 

Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!
Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!