Dia da Criança Viajante

A alma da viagem
Viajar com o Dudu é tudo de bom!

O que significa viajar com uma criança? Por que levar os filhos? O que existe de tão especial em conhecer outros lugares ao lado deles?

Para mim, uma viagem é uma experiência afetiva, educativa, lúdica, emocional, até mesmo existencial. Quando viajo com o Dudu, tento criar uma atmosfera que torne cada momento uma experiência única. Eu me envolvo emocionalmente com cada detalhe. Em geral, escolho as atrações que quero visitar ou ver a partir deste envolvimento: o castelo que foi cenário de um livro especial, o quadro que estudei em história da arte na PUC, a madeleine que Proust molhou no chá. Quando essa referência não existe a priori, eu fabrico a referência. Por exemplo, lendo para o Dudu a obra do Dr. Seuss antes de ir à Disney, para que ele reconheça os personagens quando efetivamente os veja. Ou inventando histórias (na hora, de improviso mesmo!) para os monumentos antigos do British Museum.

Em resumo, o meu planejamento de viagem, mais do que criar um roteiro, tem como característica a atribuição de um sentido ao que será visitado. Um sentido vinculado ao afeto, à memória, à emoção, à história e às relações. Não importa se o Dudu vai “lembrar” de tudo. A experiência da viagem com os pais deixa marcas impressas para sempre na bagagem emocional, na construção dele como pessoa. Cada viagem foi um salto de amadurecimento muito perceptível, e cada viagem foi uma oportunidade para nós três nos fortalecermos como família.

Quando a gente sai de casa, entende melhor como é a nossa própria casa, pois percebe o que é diferente. Cada um desses fatores contribui para a formação de uma criança em todos os aspectos. Eu procuro cuidar dos preparativos de viagem de forma a potencializar isso e usufruir ao máximo deste processo delicioso.

Não tem nada melhor do que a experiência de tirar um tempo pra sair por aí com quem a gente mais ama. Só vivendo pra descobrir.

Feliz Dia da Criança Viajante para todos vocês!

Meus 5 blogs favoritos

Esta semana o blog Roteiro Renatours vai completar um mês. Um enorme OBRIGADA a todo mundo que dá atenção aos palpites desta fisioterapeuta-blogueira, estou em clima de comemoração!
Na coluna dos 5 favoritos de hoje, resolvi prestar uma singela homenagem a alguns blogueiros brasileiros que já fazem um trabalho super bacana há mais tempo do que eu. Há blogs para todos os estilos, com todos os perfis. A diversidade é que faz com que o universo da “blogosfera” seja tão rico e interessante. Existem centenas que eu ainda nem tive a oportunidade de conhecer, e alguns outros que eu sigo e poderiam perfeitamente estar nesta lista, mas a proposta é escolher apenas cinco. Então, lá vai: estes foram os que mais conquistaram minha admiração e, principalmente, meu coração! 🙂

1- Viajando com pimpolhos
Sut-Mie Guibert tem um blog super dinâmico e informativo, onde ela une as próprias experiências com as de outras famílias colaboradoras, o que amplia muito a diversidade dos destinos e estilos de viagens descritas. É também moderadora do grupo Viagens em família no Facebook, onde eu observo sua disponibilidade e generosidade para responder às perguntas de todo mundo.

2- Malas e Panelas
Andrea e Luciano gostam de viajar e de cozinhar, e têm um blog literalmente delicioso, onde os relatos de viagens se misturam às receitas, tudo com leveza e bom humor.

3- Tempo junto
Patrícia Marinho dá mil ideias simples e criativas para se aproveitar bem o tempo com os filhos, mesmo que seja pouco. Tem coisas pra fazer no restaurante, na praia e num dia chuvoso. Tem atividades para o carro e para o avião. Imprescindível!

 

Olha só o Dudu, visitando o blog Tempo Junto, com sua maleta de atividades para o avião! Está no post "O que você coloca na mala para distrair seu filho nas viagens".
Olha só o Dudu, visitando o blog Tempo Junto, com sua maleta de atividades para o avião! Está no post “O que você coloca na mala para distrair seu filho nas viagens“.

 

4- Coisas de Mãe
Patrícia Papp fez tanto sucesso que lançou um livro, que já é best seller. O blog dela é abrangente, interessante e informativo, sem perder o toque pessoal, que diferencia os blogs dos sites institucionais. Uma referência.

5- Para a Disney… e além!
Percebo muitas afinidades entre o blog de Carlos Monteiro e Isabel Trindade e o meu. É um blog bastante pessoal, que fala das aventuras do casal com sua filha única, que deve regular em idade com o Dudu. Eles também correm atrás das viagens musicais, só que a onda deles é Bon Jovi e a minha é Beethoven. Mas eu me sinto em casa no blog deles! E, justamente por isso, presto bastante atenção no que eles falam sobre os lugares que ainda pretendo visitar…

E você? Quais os seus blogs preferidos? Conta pra mim, aqui nos comentários!

Domingo que vem, tem mais 5 favoritos. E tem post também toda terça e sexta. Um abraço e até lá!

Literatura para viagem

Eu acredito que uma certa preparação pode tornar uma viagem muito mais fascinante, especialmente para as crianças. Existem diversas maneiras de familiarizar seu filho com aquilo que ele vai encontrar ao longo do roteiro de férias. Este processo fará com que ele se sinta à vontade, por encontrar um ambiente conhecido, e mais atento, pela curiosidade de descobrir, ao vivo, algo que já tenha sido objeto de seu interesse.

No post Formulando encantamentos, eu falei bastante sobre filmes – especialmente de animação – que se passam em alguns destinos frequentemente procurados. Hoje, eu gostaria de conversar sobre literatura.

Existem no mercado diversos guias de turismo para quem viaja com crianças. Eles são de grande utilidade, mas a arte se vincula à emoção, e isso faz toda a diferença. Meu tema aqui são livros que serão lidos com ou para as crianças, antes de partir para a aventura. Afinal, quem não sentiu vontade de rumar direto para o aeroporto, depois de ler um livro ou assistir a um filme que te transportou afetivamente para outro lugar?

Podemos preparar uma criança para a descoberta de um novo destino através de histórias passadas ali. A lista de títulos é inesgotável! Contar histórias abre portais na imaginação dos pequenos, conectando-os com o mundo descrito nas páginas do livro. Quando eles estiverem, em pessoa, no cenário destas histórias, a realidade será percebida de forma muito mais rica. Se você quiser dicas de livros passados em um local específico, fique à vontade para citá-lo nos comentários e eu ficarei feliz em ajudar.

No post de hoje, vou dar algumas sugestões, que considero particularmente preciosas.

Em primeiro lugar, recomendo a série “Diário de Pilar”, da autora carioca Flávia Lins, editada pela Zahar. Em uma narrativa cativante e inteligente, Pilar, seu amigo Breno e o gatinho Samba pulam numa rede mágica e mergulham, junto com o pequeno leitor, no passado e na geografia da Grécia, Egito, Amazônia e Machu Picchu. Pilar não para quieta, então já está no forno uma jornada da África até a Bahia. Outros destinos são mencionados no blog Diariodepilar, onde a criança pode acompanhar as peripécias desta simpática personagem ao redor do mundo. Uma boa ideia é comprar um caderno e incentivar seu filho ou filha a produzir seu próprio diário de viagens, à moda de Pilar. O resultado pode ser surpreendente!

 

A série Diário de Pilar, de Flávia Lins
A série Diário de Pilar, de Flávia Lins

 

Se você está indo para Orlando, uma ótima ideia é explorar a obra do Dr. Seuss. Sabe aquela área para crianças pequenas da Universal Islands of Adventure, que todo mundo acha uma gracinha, mas não sabe direito do que se trata? Pois é, a Seuss Landing é dedicada a um dos maiores autores infantis norte-americanos, cujos personagens povoam a imaginação de gerações de crianças. Há, inclusive, uma livraria dentro do parque, repleta de seus inúmeros títulos. O mais famoso é “O gatola da cartola” (The cat in the hat, editado em português pela Cia. das Letras), que virou um desenho animado exibido pelo canal Discovery Kids. Os ajudantes do gatola são os célebres Coisa 1 e Coisa 2 (Thing 1 e Thing 2), aqueles das camisetas vermelhas que todo mundo compra, também meio sem saber por quê… O delicioso filme “O Lorax” é baseado no livro homônimo, assim como “O Grinch”. Mas interessantes mesmo são os livros, poéticos e criativos, com ilustrações curiosíssimas do próprio Dr. Seuss.

 

Um pouquinho da obra do Dr. Seuss, tema de toda uma área na Universal Islands of Adventure
Um pouquinho da obra do Dr. Seuss, tema de toda uma área na Universal Islands of Adventure

 

O Gatola da Cartola, Coisa 1 e Coisa 2, na Seuss Landing
O Gatola da Cartola, Coisa 1 e Coisa 2, na Seuss Landing

 

Aproveite o fim de semana e vá até a livraria com as crianças! O mundo inteiro está esperando por elas nas prateleiras…

 

Há muito tempo atrás, numa galáxia muito distante…

Um grupo de 15 meninos e meninas espera a hora de começar o show. Enquanto aguardam, o membro do staff propõe um jogo de perguntas para avaliar os conhecimentos deles sobre a saga Star Wars. A primeira coisa que ele diz: Os pais não podem responder, só as crianças!

É fato. Guerra nas Estrelas é um clássico dos anos 80. Mesmo com os novos episódios e o desenho animado Guerra dos Clones, se uma criança de hoje é louca pela série, é porque seu pai e/ou sua mãe são fãs desde a adolescência, então ele ou ela já nasceu padawan e sonha com o dia em que Mestre Yoda vai solicitar sua contagem de midi-chlorians. E é por esta razão que, na Academia de Treinamento Jedi, do Disney’s Hollywood Studios, mães e pais ficam tão empolgados quanto as crianças que efetivamente participam.

 

Dudu enfrenta Darth Vader
Dudu enfrenta Darth Vader

 

Os soldados imperiais não são páreo para o poder da Força
Os soldados imperiais não são páreo para o poder da Força

 

O show acontece – em horários pré-programados – no palco ao lado do simulador Star Tours. O cenário é idêntico à entrada da base imperial na lua de Endor, de O Retorno de Jedi. Um mestre Jedi conduz os jovens padawans em um treinamento, que vai do juramento Jedi (usar a Força apenas para a defesa, nunca para o ataque, manter a paz na galáxia, etc.) ao ensaio de golpes com o sabre de luz. A trilha sonora, uma das mais famosas da história do cinema, contribui significativamente para aumentar a emoção. Aumente o som e veja os vídeos! Estão um pouco tremidos, porque a mamãe estava emocionada, mas vale à pena ter uma ideia de como é bacana a experiência!

 

 

De repente, entram soldados imperiais, seguidos de Darth Vader, o próprio! Além de falar com aquela voz inconfundível de James Earl Jones respirando por aparelhos, ele ainda por cima se comunica através de frases célebres dos filmes, tais como “Come to the dark side”, “Join me, it’s the only way”, “With our strenghts combined, we can rule the galaxy”, “Meet your destiny” e outras. É exatamente nesta hora que os nerds fanáticos (como eu) dão aquele sorriso cúmplice… Ele tenta atrair as crianças para o lado sombrio da Força, mas o mestre confia em seus pupilos, e tem sempre uma respostinha espirituosa, para dar um toque de humor. Cada padawan, individualmente, terá de se provar digno, em um duelo cara a cara com o vilão.

 

 

Em épocas de pico, ocorrem dois shows simultâneos, um no palco com Lord Vader e outro no chão, com Darth Maul.

 

 

No final, todas as crianças, juntas, usam a Força para expulsar Vader e seus soldados, sendo surpreendidas, então, pela voz de Yoda, declarando que estão aptas a se tornarem verdadeiros padawans.

 

Hora de partir, Darth Vader!
Hora de partir, Darth Vader!

 

Todos recebem um diploma e saem realizados. Dudu já tem 7 diplomas, um deles está pendurado na parede do quarto.

 

Padawans diplomados!
Padawans formados!

 

Atenção! Esta é uma atração extremamente concorrida. Para garantir a participação do seu filho ou filha, não esqueça as seguintes dicas:

–       A criança deve ter de 4 a 12 anos.

–       Você deve chegar bem cedo ao parque e ir diretamente ao ABC Sound Studio, perto do Star Tours, onde há uma placa indicando as inscrições. Todas as crianças que vão participar devem estar presentes neste momento, senão eles não inscrevem de jeito nenhum. O funcionário fará algumas perguntas, por exemplo, se a criança é capaz de ficar sem os pais no palco, ou se ela tem medo do lado sombrio da Força. Você receberá, então, um papel com o horário em que seu filho deve se apresentar para o show designado.

–       Na hora, a criança receberá a roupa Jedi e o sabre de luz, não é permitido levar seu próprio sabre.

 

Orgulho de ser um aprendiz de Jedi
Orgulho de ser um aprendiz de Jedi

 

Não deixe de conferir também o simulador Star Tours. As cenas são combinadas aleatoriamente, então você pode ir diversas vezes sem repetir a mesma experiência. Quando Dudu quis ir de novo pela décima vez, parei de contar e me deixei levar pelos desígnios da Força…

May the Force be with you. Always.

Muffins ou madeleines?

Eu sou louca por chá. Desde criança, quando minha mãe saía mais cedo do trabalho às quartas-feiras e me levava ao Lord Jim Pub, em Ipanema, onde a inglesa Anne Philipps servia o tradicional chá completo, à moda britânica. Já na casa dos 20 anos, descobri os encantos do chá francês, graças a uma das mais belas passagens da literatura universal. O personagem de “Em Busca do Tempo Perdido” se vê invadido pelas reminiscências de uma vida inteira, a partir de uma experiência sensória deflagrada pelo cheiro e o sabor de uma madeleine mergulhada em chá de tília. Desde que tive o privilégio de ler Marcel Proust, cada madeleine mergulhada no chá é, para mim, uma experiência existencial.

Bem, este post não é sobre literatura e muito menos sobre minhas vivências pessoais, mas todos esses preâmbulos têm a intenção de deixar claro o espaço que o chá ocupa em minha vida. Porque os lugares que vou indicar para vocês são realmente especiais para mim. E estão localizados nas duas cidades que disputam, centímetro a centímetro, a posse do meu coração. Tanto que vou dividir este texto em duas partes, uma para cada cidade.

Vamos começar por Londres. Em Picadilly, desde 1707, existe um reino encantado para os amantes do chá. Um belíssimo edifício de seis andares, onde são produzidos todos os chás, biscoitos, geléias e bolos que abastecem o Palácio de Buckingham. A Fortnum and Mason funciona como uma loja de departamentos, dividida em sessões de biscoitos, chocolates, frios, louças, acessórios de cozinha, cestas de piquenique e muitas outras, além do chá, é claro. Este lugar de sonho conta com seis restaurantes, que vão desde uma sorveteria e um wine bar até o The Diamond Jubilee Tea Salon, que eles descrevem, apropriadamente, como um ícone britânico. Quando fiz 40 anos, em 2012, propus à minha mãe uma viagem só nós duas, para desfrutarmos nossas maiores paixões em comum: ballet e chá. Ainda contarei muitos detalhes em posts futuros, mas já posso adiantar que fizemos uma grande comemoração no chá das cinco deste salão fantástico, recentemente reformado em homenagem ao jubileu de diamante da rainha Elizabeth II. Ali, a tradição é respeitada em cada receita, na maneira de servir, na decoração, em todos os detalhes. Você pode visualizar os cardápios e fazer sua reserva pelo site. Só não esqueça de destinar um tempo para passear pela loja, você nunca viu tantas delícias reunidas num mesmo local!

 

A fachada da Fortnum and Mason, em Piccadilly
A fachada da Fortnum and Mason, em Piccadilly, enfeitada para o Jubileu da rainha

 

Tradição nos mínimos detalhes
Tradição nos mínimos detalhes

 

IMG_0348
Scones que derretem na boca, mini-sanduiches, pequenas delícias…

 

Trouxe  para casa o Jubilee Tea Blend, criado especialmente para homenagear os 60 anos do reinado de Elizabeth II
Trouxe para casa o Jubilee Tea Blend, criado especialmente para homenagear os 60 anos do reinado de Elizabeth II

 

IMG_0357
Uma forma britânica de comemorar a chegada aos 40!

 

Um lugar muito simpático para o chá das cinco é, também, a famosa loja de departamentos Harrods. Há diversas opções, espalhadas nos sete andares, que oferecem desde lanches rápidos até jantares requintados. Para o chá, há o Georgian Restaurant, o The Tea Room e o The Harrods Terrace, entre outros.

 

Eu e Alexandre escolhemos o Georgian Restaurant, enquanto Dudu dormia no carrinho.
Eu e Alexandre escolhemos o Georgian Restaurant, enquanto Dudu dormia no carrinho.

 

Se a ideia é comprar chá para levar pra casa, meu lugar favorito é The Tea Palace, que fica no Convent Garden. Eles têm um Earl Grey with blue flowers que é de beber suspirando. A loja é uma experiência sensorial, os chás ficam em recipientes de vidro para que você sinta os aromas e veja a beleza das misturas de folhas. A maior parte dos meus acessórios foram comprados lá (infusores, coadores, medidores…).

 

No cantinho do chá que tenho na cozinha, há lugar reservado para as latinhas The Tea Palace
No cantinho do chá que tenho na cozinha, há lugar reservado para as latinhas The Tea Palace

 

A loja da Twinnings, a marca inglesa de chá mais conhecida no Brasil, foi uma decepção para mim. Achei totalmente sem graça. Entretanto, eles fizeram uma enorme reforma, que inclui a criação de um museu do chá, então imagino que agora seja um bom programa. Preciso voltar a Londres para conferir!

Eles continuam não tendo salão de degustação, então é só para comprar chá e acessórios. A novidade é que você pode escolher saquinhos avulsos para compor sua caixa, embora o chá em folhas seja bem melhor. Inclusive, se você está acostumado a comprar Twinnings no Brasil, saiba que o de lá é diferente: eles têm uma linha para exportação mais adaptada ao paladar internacional. Meu favorito da marca é o Lady Grey, e eu prefiro o que compro por lá.

De toda forma, você pode tomar chá com scones, muffins e short breads (os tradicionais biscoitos amanteigados escoceses) em qualquer lugar da Inglaterra. Dificilmente você sairá decepcionado, ainda que tenha escolhido um lugarzinho simples, que encontrou pelo caminho. Até mesmo no hotel, experimentei scones de tirar o fôlego, num típico ambiente vitoriano. Os ingleses realmente sabem valorizar as tradições, e mantê-las vivas para que possamos desfrutá-las. God save the queen!

No próximo post, vou te convidar para um chá em Paris. Você topa?