Lucerna e Salzburg: o coração da música

IMG_0037

No ano retrasado, escrevi este post sobre minha wish list, comentando que, até o meu aniversário de 2015, já teria realizado o primeiro sonho da lista. Terminei o texto dizendo que adoraria que este hábito se tornasse constante…. De fato, passei o último verão na Escócia e já contei um pouquinho aqui (neste post e também neste). Pois não é que este ano, bem no dia em que farei 44 primaveras, Daniel Barenboim vai reger a West Eastern Divan Orchestra (projeto que lhe rendeu uma indicação ao Nobel da Paz) “só pra mim”, em pleno Festival de Lucerna? Bem… Na verdade, só pra mim, pro Alexandre, pro Dudu, pra minha mãe, pro meu pai e  para todos os outros afortunados que garantiram ingressos para um dos maiores eventos de música clássica do mundo. Como se não bastasse, vamos emendar no Festival de Salzburg, com uns passeios de carro na Suíça, Alemanha e Áustria pelo meio. Afinal, temos concerto toda noite, mas o dia é longo e as distâncias são curtas!

cópia de barenboim

Para quem quer fugir da loucura do Rio nas Olimpíadas, é uma boa pedida. Para mim, foi perfeito, pois ambos os festivais acontecem sempre em agosto e, este ano, excepcionalmente, as férias escolares vão permitir esta escapada “fora de época”.

Alguns concertos já estão esgotados (eu mesma, apesar de madrugar no computador, não consegui lugares para o Gustavo Dudamel). Mas muita coisa boa ainda está disponível. Nosso programa inclui ainda a Ópera de Marionetes, super tradicional em Salzburg, em que assistiremos “A Noviça Rebelde”.

Claro que o Dudu só vai a alguns espetáculos. Embora seja fã de música, ele ainda é pequeno para esta maratona restrita aos viciados. Algumas noites, ele vai dar um passeio com o papai, enquanto mamãe, vovó e vovô estarão no teatro. Mas já fiz um super planejamento pra eles, que inclui, por exemplo, aluguel de bicicleta para circular em volta do Lago Lucerna, ou visitar o incrível Museu de História Natural de Salzburg. Ainda tenho muito pra contar, vamos aos poucos…

Se você se animou, pode checar o programa e comprar os ingressos nestes sites:

Festival de Salzburg: http://www.salzburgerfestspiele.at/summer

Festival de Lucerna: https://www.lucernefestival.ch/en/program/summer-festival-2016

Ópera de Marionetes em Salzburg: http://www.marionetten.at/index.php

FullSizeRender

 

O roteiro inclui muitas outras delícias culturais, aventureiras, esportivas e gastronômicas, que vou desfiando aos pouquinhos… Espero continuar realizando um sonho a cada aniversário, sempre com a família em volta. Da próxima vez, quero irmão, cunhada e sobrinhos no bonde!

E aí, se animou? Quem sabe te encontro por lá? Como diriam os suíços… Bis dann!

Anúncios

Meus 5 destinos mais sonhados

Se eu fosse listar aqui todas as viagens que gostaria de fazer, acho que ficaria semanas só nisso… Escolhi então os 5 destinos que mais alimentam minha imaginação atualmente. Não quero chamar esta relação de “wish list”, prefiro “to do list”, pois todas já estão sendo programadas. Mesmo que eu não saiba ainda quando irão, de fato, acontecer…

1- Escócia e Nortúmbria
Esta já tem data e hora marcada, vai acontecer em julho de 2015. Estou na organização de um curso para que os praticantes de cadeias musculares GDS (método fisioterapêutico cuja formação eu coordeno, no Rio de Janeiro) possam conhecer nossa fonte, o Centro de Formação Philippe Campignion. Serão mais de 40 brasileiros invadindo o norte da França! Terminado o curso, parto com Alexandre e Dudu para esta viagem tão sonhada, que já está sendo planejada nos mínimos detalhes. Progressivamente, vou dando notícias do roteiro aqui no blog. Por ora, já adianto que teremos uma programação Harry Potter, com a visita ao Alnwick Castle, na Nortúmbria, e um passeio no trem a vapor The Jacobite, o autêntico Hogwarts Express. Fora os castelos, os lagos, as Highlands, Edimburgo… Mal posso esperar!!!

O trem a vapor The Jacobite passa pelo viaduto Glenfinnan, cenário dos filmes de Harry Potter Fonte: http://www.westcoastrailways.co.uk
O trem a vapor The Jacobite passa pelo viaduto Glenfinnan, cenário dos filmes de Harry Potter
Fonte: www.westcoastrailways.co.uk

2- Alemanha
Meu roteiro imaginário começa em Berlim, desce de carro pela Rota Romântica e chega em Munique. De lá, sigo para Salzburg e fecho a viagem com o maior festival de música clássica do mundo. Estive neste festival uma vez, sozinha, em 1997. Agora quero levar meus dois rapazes para viver comigo esta grande emoção. Por enquanto, vou aproveitando as dicas da minha amiga Viviane Ribas, que descreve seu passeio pela Alemanha no blog Vivi em Viagens, e da Francine Agnoletto, do blog Viagens que sonhamos

3- Egito

Pirâmides, o deserto, antigas civilizações, um cruzeiro pelo Rio Nilo… Chego a suspirar….

4- Praga

Do leste europeu, só conheço a Áustria. Gostaria de visitar a Polônia (de onde veio minha família paterna), a Hungria, a Croácia e a Eslovênia. Mas, em primeiro lugar, Praga. Cidade linda, bem conservada, onde se respira música. Espero que não demore a surgir a oportunidade!

5- Festivais de música clássica
Lucerna, Verbier, Tanglewood… Como mencionei acima, já estive no Festival de Salzburg. Para quem é amante da música como eu, é uma experiência incomparável. A cidade gira em torno do festival, há uma concentração de energia quase palpável. Eu assistia a dois concertos por dia, um de manhã e outro à noite. Os fantásticos festivais de Lucerna e Verbier me oferecem, ainda, a possibilidade de conhecer a Suíça. O de Tanglewood, onde meus queridos Yo Yo Ma, Lang Lang e Joshua Bell sempre marcam presença, pode ser facilmente combinado com um pulinho em Nova York. Difícil é escolher!

Salzburg, cidade dos sonhos de qualquer amante da música clássica
Salzburg, cidade dos sonhos de qualquer amante da música clássica
Gros Festspielhaus: principal teatro do Festival de Salzburg, onde vi Seiji Osawa reger a Filarmônica de Viena
Gros Festspielhaus: principal teatro do Festival de Salzburg, onde vi Seiji Osawa reger a Filarmônica de Viena

 

Esta semana fiz aniversário. No ano que vem, a esta altura, já terei cumprido a primeira missão desta lista. Espero que seja sempre assim, todo ano… 🙂

Trilha sonora de uma vida viajante

Domingo é dia de “Meus 5 favoritos”. A proposta de hoje é listar as 5 músicas que me fazem imediatamente lembrar de uma viagem. É uma escolha difícil, música é sempre tão marcante… Acabei chegando a um veredicto bem eclético!

1- The Final Countdown (Europe)
Aos 14 anos, passei um mês estudando inglês em uma escola no interior da Inglaterra (Culford School, Bury St. Edmonds). Havia adolescentes do mundo inteiro, foi uma experiência extraordinária. Toda sexta, tinha “Disco” na escola, à noite. Uma vez por semana, íamos fazer patinação em Bury St. Edmonds. O super mega hit da época era essa canção do Europe, que dividia o pódio com Livin’ on a prayer, do Bon Jovi. Até hoje, quando ouço estas músicas, lembro com detalhes dos dias passados por lá.

 

 

2- Concerto para 2 violinos (J.S. Bach)
Um dos momentos mais memoráveis da minha vida foi o Festival de Salzburg, onde fui, sozinha, aos 24 anos. Este concerto específico, de Bach, sempre foi meu favorito, desde a adolescência. Eis que me vejo, em êxtase, assistindo ao lendário maestro Cláudio Abbado e, quando ele retorna para o bis, toca exatamente esta peça! Senti como se ele a tivesse escolhido para mim… Inesquecível… Não existe uma versão regida por Abbado no Youtube, então escolhi esta, só do primeiro movimento,  pra vocês conhecerem (ou reconhecerem). Os solistas são Maxim Vengerov e Ilya Gringolts, com a Russian Philharmonic.

 

 

3- As 4 estações (A. Vivaldi)
Fomos a Londres com Dudu em 2010. Lá, ele foi ao seu primeiro concerto, na célebre igreja de St Martin-in-the-fields. Escolhi As Quatro Estações porque é uma peça leve, de fácil assimilação e muito familiar para ele. Meu filhote ficou tão encantado, na primeira fila, que os músicos vieram falar conosco no final do espetáculo: ficaram impressionados com o nível de atenção da criança. Desde então, para mim, Vivaldi é sinônimo de Dudu em Londres. O vídeo abaixo mostra o violinista favorito do Dudu, Joshua Bell, tocando o terceiro movimento do Verão em um ensaio com a Academy of St. Martin-in-the-fields. Mas naquele dia não foi ele quem se apresentou, embora Dudu já o tenha visto aqui no Rio, no Theatro Municipal.

 

 

As Quatro Estações, na Igreja de St Martin-in-the-Fields
As Quatro Estações, na Igreja de St Martin-in-the-Fields

 

4- Graceland (Paul Simon)
Turks and Caicos. Nossa piscina favorita no fantástico resort Beaches era a do Italian Village, e ela ficava ao lado do Mario’s, nosso restaurante preferido para o almoço. Sendo assim, quase todos os dias dávamos uma passada por ali. A seleção musical do bar da piscina era ótima. Curiosamente, Graceland era uma música que tocava sempre, invariavelmente. Acho que o barman curte Paul Simon tanto quanto eu…

 

 

5- Walk this way (Aerosmith)
É o tema da Rock’n Roller Coaster, a montanha russa do Aerosmith no Disney’s Hollywood Studios. Para mim, a melhor de todas. Se você espiar os “top 5” do Dudu no primeiro post da série 5 favoritos, verá que ela ocupa o primeiro lugar. A gente ouve no carro cantando alto, lembra da Disney, revive momentos felizes juntos.

Dudu curtindo Aerosmith na Rock'n roller Coaster
Dudu curtindo Aerosmith na Rock’n roller Coaster

 

Agora me conta! Quais as músicas que fazem a trilha sonora das suas viagens? Vou adorar ver suas escolhas nos comentários. Bom domingo!

Ingressos na mão!

Como contei pra vocês no post Outono musical em Nova York, em breve embarco a trabalho para a França.

Faço visitas regulares ao norte deste país incrível, como parte das minhas atividades docentes na área da fisioterapia. Sou responsável, aqui no Rio de Janeiro, pela formação no método de Cadeias Musculares e Articulares GDS, então preciso fazer constantes reciclagens junto ao diretor mundial da formação, meu querido mestre Philippe Campignion.

O Centre de Formation Philippe Campignion fica em Camblain l’Abbé, quase na fronteira com a Bélgica, perto de Arras, uma cidade bastante interessante, a 50 minutos de trem de Paris. Ainda vou dedicar um post especialmente aos seus encantos…

 

Imagem
O Centre de Formation Philippe Campignion, na região francesa do Pas de Calais

 

Meu propósito agora, no entanto, é reafirmar o que já mencionei em Poupando suspiros: passarei apenas dois rápidos dias em Paris, mas por que não tentar aproveitá-los para conferir a agenda cultural?

Pois é, o ballet da Ópera de Paris vai se apresentar justo na minha noite livre. Anotei na agenda que hoje os ingressos começariam a ser vendidos, e à tarde já estavam quase esgotados!

Mas não é preciso entrar em pânico, eu e minhas três amigas – que me acompanharão nesta jornada – já temos nossos lugares garantidos!

 

Imagem
Lugares garantidos para quatro fisioterapeutas “perdidas” em Paris!

 

Só resta agora esperar setembro, para uma noite de ballet finalizada no Point bulles, a deliciosa champanheria que fica bem em frente ao meu hotel de sempre…

Afinal, como disse Pasteur, uma refeição sem champagne é como um dia sem sol!

 

Outono musical em Nova York

No post Poupando suspiros, contei um pouco como eu procedo para conferir a agenda cultural e comprar ingressos baseada nas datas programadas para uma viagem. Às vezes, porém, faço o caminho inverso. Algumas cidades são tão ricas do ponto de vista das artes e espetáculos, que vale à pena estabelecer as datas da visita a partir do que ela tem a oferecer.

Meus pais viajam regularmente com o objetivo de aproveitar a temporada de concertos e ópera, principalmente em Nova York. Como clientes VIP do Roteiro Renatours, eles sempre contam com opções avançadas de planejamento! 😉

Eles me passam uma época do ano aproximada: há alguns dias, por exemplo, fizeram a “encomenda” para uma semana em outubro, podendo transbordar um pouquinho para setembro.

Eu abro, então, a agenda das principais salas e escolho a semana com a melhor combinação de programas. Às vezes é difícil decidir, pois pode haver dois ou mais “incontornáveis” separados por um período de tempo inviável. Mas sempre dá para criar um mix excelente!

Este ano, foi moleza… Quase nem acreditei! Quando abri o site do Lincoln Center, lá estava ela… A Filarmônica de Berlim! Regida por Sir Simon Rattle, tocando a Paixão Segundo São Mateus, de Bach, justamente a peça favorita do meu pai (aliás, uma das mais belas da história da humanidade…). A partir daí, eu já sabia que todo o roteiro teria de ser construído em torno disso. Abri, então o Carneggie Hall e… Filarmônica de Berlim de novo! Tocando Schumann! Socorro!!!!! Também quero ir!!!! Mas nesta data estarei a trabalho na França, depois eu conto…

Bem, outubro é, ainda por cima, o auge da temporada de ópera na Metropolitan Opera House, e também do New York City Ballet (vão dançar Balanchine, a especialidade deles!).

Pra você ter uma ideia, a programação que criei para eles ficou assim:

 

5 de outubro: New York City Ballet, no Lincoln Center

6 de outubro: Filarmônica de Berlim (Schumann), no Carneggie Hall

7 de outubro: Bodas de Fígaro, na Metropolitan Opera House

8 de outubro: Filarmônica de Berlim (Bach), no Lincoln Center

9 de outubro: Carmen, na Metropolitan Opera House

10 de outubro: Musical da Broadway ou jantar especial

 

Eles comprarão as passagens para sexta-feira dia 3 de outubro. No dia da chegada, não tem programação, pois é muito cansativo. Sábado dia 11 de outubro, passagens de volta. Sucesso garantido.

 

No site da Metropolitan Opera, você pode ter uma visão global da agenda de cada mês
No site da Metropolitan Opera, você pode ter uma visão global da agenda de cada mês

 

Cada site informa a data e hora em que os ingressos para cada apresentação começarão a ser vendidos. É importante anotar na agenda e entrar no site assim que a venda estiver aberta. Quando comprei para o Lang Lang no Carneggie Hall, acessei com duas horas de “atraso” e os melhores lugares já tinham ido embora, restava menos da metade.

E então, quer tirar uma casquinha e copiar o programa? É melhor se apressar. Os ingressos para a Filarmônica no Lincoln Center estarão disponíveis a partir desta segunda-feira, 23 de junho, e devem se esgotar rapidamente!

 

Sir Simon Rattle, à frente da Filarmônica de Berlim
Sir Simon Rattle, à frente da Filarmônica de Berlim

 

Primeira parada: banca de jornal!

Se um amigo estivesse indo para Paris e eu tivesse a oportunidade de lhe dar uma única dica, eu certamente diria: Pariscope!

O Pariscope é uma revistinha semanal, que sai toda quarta-feira e é vendida em qualquer banca de jornal (inclusive no aeroporto, onde eu costumo comprar). Custa 50 centavos e cabe na bolsa. Ela contém toda a programação cultural daquela semana específica: shows, exposições, concertos, eventos, etc., além de listar os endereços e horários de funcionamento de todos os museus e galerias da Île de France.

Mesmo que você tenha um excelente guia da cidade, o Pariscope vai te informar se determinado museu está fechado naquela semana para reformas, evitando que você chegue lá e dê com a cara na porta. Ou talvez te mostre que, devido a um evento extraordinário, o mesmo museu estará aberto até mais tarde nos dias x, y e z, possibilitando um melhor planejamento do seu roteiro. Ou seja: ele é imprescindível.

Dependendo do seu dia de chegada e partida, não esqueça de que a programação de cada edição só cobre até a terça-feira, toda quarta-feira você deverá comprar uma nova.

Atualmente, existe o aplicativo do Pariscope, disponível para iPhone e Android. É grátis e vale muito à pena baixar. Entretanto, embora eu seja bastante adepta de tecnologias começadas pela letra i, ainda me mantenho apegada à boa e velha revistinha, que eu já vou marcando e sublinhando no trajeto do aeroporto até o hotel…

 

Poupando suspiros

Você chega na sua cidade de destino e dá de cara com um cartaz, anunciando que seu cantor favorito vai se apresentar amanhã. Uau! Seria a coroação épica da viagem, algo que marcaria sua memória para sempre! Você corre para um ponto de venda e – obviamente – os ingressos estão esgotados.

Decepção devastadora e… desnecessária. Por favor, poupe seus suspiros!!! Você pode dar um final feliz a esta história. Basta uma pitada de planejamento!

Quando fechar uma viagem, no dia em que comprar as passagens e definir o roteiro, pesquise a agenda cultural e/ou esportiva dos locais que vai visitar. Na maioria das vezes, você terá surpresas agradáveis.

Minha dica é não buscar em sites genéricos, tipo ticketmaster. Eles vão te mostrar uma lista gigantesca de eventos, que vão desde jogos de badminton até shows folclóricos. Você vai perder a paciência e optar entre nenhum programa e mais uma dose de musical da Broadway (nada contra, também adoro, mas há muitas outras coisas esperando por nós por este mundo afora…).

Sugiro focar na sua área de interesse e fazer uma busca específica. Será mais prático e eficaz. Por exemplo: eu sou fanática por música clássica e ballet. Vou regularmente a Paris, por conta do trabalho. Assim que defino a data (muitas vezes, passo apenas duas noites na cidade!), entro nos sites da Ópera de Paris , do Théatre des Champs Elysées e da Salle Pleyel e confiro o calendário dos dias em que estarei por lá. Estes são, de longe, os principais “templos” da música erudita/ballet/ópera da Cidade Luz. Levo uns 10 minutos na pesquisa! E faço toda a diferença na minha vida, pois, com isso, já tive a chance de presenciar performances de medalhões como Martha Argerich, Mischa Maisky e Kurt Masur, assim, como quem não quer nada.

Do mesmo jeito, é possível acessar a agenda dos jogos de futebol na Europa, pelo site da Champions League, ou do basquete nos EUA, de shows e eventos em qualquer lugar do mundo. Nas próximas oportunidades, darei o caminho das pedras para muitos eventos e muitos lugares, mas estou aberta a sugestões: se você quiser dicas sobre como pesquisar um tipo de evento em uma cidade específica, é só escrever nos comentários e terei prazer em criar um post especialmente pra você. Prepare o cartão de crédito, é hora de comprar ingressos!

Imagem

O grande pianista Radu Lupu, com a Orchestre de Paris, na Salle Pleyel