Respirando ares franceses (post-índice)

Há 2 anos, duas turmas de brasileiros foram ao Pas de Calais, no norte da França, para fazer um curso de pós-formação em Cadeias Musculares e Articulares GDS, com um dos mais célebres fisioterapeutas da atualidade, o professor Philippe Campignion.

O post Fisioterapeutas a bordo foi o primeiro que escrevi no modo “guia de turismo fisioterapêutico” (kkkk) e conta um pouco da história deste projeto delicioso.

É hora de partir novamente com um bando de fisioterapeutas e educadores físicos brasucas, desta vez para um curso sobre a Respiração. Faltam menos de 4 meses, a aventura começa dia 11 de novembro.

 

IMG_4218
Lori Campignion com Dominique, dona do Chez Mimi, um dos albergues que vão receber nossa turma em novembro

 

Parceria com a Air France para desconto nas passagens; bilhetes de trem para Arras comprados, para todos no mesmo vagão; albergues exclusivos reservados em Camblain l’Abbé; carros alugados pra transportar a galera entre o Centre Philippe Campignion e o nosso querido restaurante La Rénardière (onde almoçaremos todos os dias)…. Preparativos finalizados! É só arrumar as malas!  Respirem fundo e preparem-se para ares gelados!

 

IMG_4202
Eu e o mestre Philippe Campignion, esperando vocês no reduto brasuca do Pas de Calais!

Encerrando oficialmente os trocadilhos com o tema do curso, organizei este post-índice para dar um pouco de inspiração àqueles que ainda não planejaram o pré e pós, e também para já dar um gostinho antes da partida. É só clicar no título para abrir o texto. E seja bem vindo a comentar e contribuir. Mesmo que você não vá estudar com a gente em Camblain, pode aproveitar as dicas. Afinal, não se vai a Paris somente pra trabalhar, né? 😉

 

Sobre Paris

Algumas dicas essenciais de Paris

Para não dar com a cara na porta: dias de fechamento das principais atrações de Paris

Museus em Paris que valem a visita – Parte 1

Museus em Paris que valem a visita – Parte 2

Museus em Paris que valem a visita – Parte 3

Museu Nacional de História Natural: um programa diferente em Paris

5 lojas de roupa de criança em Paris

5 lojas de brinquedos em Paris

5 dicas de uma chef brasileira em Paris

Pascade: uma experiência gastronômica única em Paris

Croissants e macarons

A arte francesa do chá

 

Sobre transportes, estações e planejamento em geral

Deslocamentos dentro da Europa: de trem ou de avião?

Aeroportos e estações de trem na França: modo de usar

Passo a passo para comprar sua passagem com o desconto especial do evento

Embarque autorizado para fisioterapeutas

 

Sobre Arras e o Centre de Formation Philippe Campignion

Fisioterapeutas a bordo

Diretamente do Norte da França!

Ainda pelo Norte da França

 

Sobre um toque especial e viajar com crianças

10 dicas de viagem que só uma mãe pode dar

Dicas básicas para viajar com crianças

Poupando suspiros

Formulando encantamentos

Um dia (feliz) no museu

O que meu filho aprendeu viajando

 

 

IMG_4205
Centre de Formation Philippe Campignion. Vai estar frio, mas é sempre lindo!

Museu Nacional de História Natural: um programa diferente em Paris

Quando falamos em Museu de História Natural, vêm logo à cabeça os super hiper badalados “exemplares” de Nova York e Londres. Mas o Museu de História Natural de Paris também pode ser uma opção bem interessante. Especialmente para quem gosta de paleontologia e anatomia, isto é, como eles mesmos dizem, para “os amantes de ossos de todos os tipos”. Como este é definitivamente o meu caso, pretendo visitá-lo pela primeira vez este ano, pois já ouvi os melhores comentários possíveis.

Galerias de Anatomia Comparada e Paleontologia Fonte: site do MNHN
Galerias de Anatomia Comparada e Paleontologia
Fonte: site do MNHN

O MNHN fica dentro do Jardim Botânico, o Jardin des Plantes, um parque lindíssimo e excelente para levar as crianças (eu já estive no jardim, mas o museu estava fechado na ocasião).

Dentre as inúmeras atrações do complexo, estão a Grande Galeria da Evolução, as Galerias de Anatomia Comparada e Paleontologia (com uma incrível coleção de peças de esqueletos humanos, que atestam nossa evolução) e a Ménagerie, o charmoso zoológico histórico de Paris.

Há também a Galeria das Crianças, com ambientação e atividades voltadas para os pequenos.

O MNHN abre todos os dias, exceto terças-feiras, das 10 às 18h.

Para todas as informações sobre acesso e compra de bilhetes online, clique aqui.

Vamos descobrir os caminhos dos nossos antepassados?

Grande Galeria da Evolução Fonte: site no MNHN
Grande Galeria da Evolução
Fonte: site no MNHN

Para não dar com a cara na porta: dias de fechamento das principais atrações de Paris

Nem todo mundo gosta de viajar com tudo planejado. É verdade que, muitas vezes, é super gostoso ficar apenas “flanando”, fazendo aquilo que der vontade, na hora que quiser.

Mesmo assim, é aconselhável ter algumas referências básicas, para não perder tempo nem a oportunidade de visitar aquele local específico, que estava no topo da sua lista de desejos.

Paris é uma cidade que convida a perambular pelas ruas, sem hora marcada. Mas é fundamental ter em mente que muitas das atrações mais concorridas fecham em algum dia da semana, em geral segunda ou terça. Já pensou? Você deixa o Museu do Louvre para o último dia, para guardar na lembrança a imagem da Mona Lisa como sua experiência de despedida, na cidade dos seus sonhos. Só que é uma terça-feira, então você dá com a cara na porta e tem que voltar pro Brasil sem ter prestado sua homenagem à misteriosa beldade…

Por fora, um espetáculo. Mas o Louvre também merece ser visto por dentro...
Por fora, um espetáculo. Mas o Louvre também merece ser visto por dentro…

 

É claro que a quantidade de museus, galerias e monumentos de Paris é inesgotável, e por isso é tão importante seguir minha dica master e comprar o Pariscope. Até mesmo porque, independente dos horários normais, algumas vezes ocorrem fechamentos inesperados para obras de reforma ou restauração. Mas eu aproveito e adianto aqui o dia da semana em que fecham os “tops”, aqueles que não podem faltar em um roteiro cultural parisiense que se preze.

Fecham na segunda-feira:

Chateau de Versailles

Musée d’Orsay

Musée Rodin (no momento, está apenas parcialmente aberto, mas os jardins estão funcionando normalmente)

Musée Picasso

A beleza impactante do Musée d'Orsay
A beleza impactante do Musée d’Orsay

 

Fecham na terça-feira:

Musée du Louvre

Musée de l’Orangerie

Centre Pompidou

O Hôtel des Invalides, com o túmulo de Napoleão, não fecha nenhum dia da semana, assim como o Panthéon. Também abrem diariamente as torres de Notre Dame, a Sainte Chapelle e a Torre Eiffel. Para visitar esta última, no entanto, sugiro comprar ingresso antecipado (aqui), com hora marcada, para evitar as filas gigantescas.

De diversos pontos de Paris se pode vislumbrar a imponência dourada do Dôme des Invalides
De diversos pontos de Paris se pode vislumbrar a imponência dourada do Dôme des Invalides

 

O pêndulo de Foucault e os túmulos de "gigantes" como Rousseau e Voltaire podem ser visitados todos os dias da semana
O Pêndulo de Foucault e os túmulos de “gigantes” como Rousseau e Voltaire podem ser visitados todos os dias da semana

 

Resumo da ópera: a boa é passear à vontade, porém com um mínimo de planejamento. Assim, a gente não fica “engessado” por um roteiro excessivamente pré-estabelecido, mas também não perde tempo indo parar em museu fechado.

Vamos bater perna em Paris? 😉

Museu do Futebol: um programa incrível em São Paulo!

Hoje passamos uma manhã deliciosa no Estádio do Pacaembu. Nunca imaginei que fosse curtir tanto um museu inteiramente dedicado ao futebol. Dá pra avaliar o quanto meu filho – fanático pelo esporte – aproveitou a visita?

Dudu se esbaldou no Museu do Futebol
Dudu se esbaldou no Museu do Futebol

Logo na entrada, os visitantes são recebidos por funcionários que explicam coisas como, por exemplo, de que maneira as bolas eram feitas antigamente, ou qual o significado da taça Jules Rimet.

As orientações são dadas de forma simpática e atenciosa
As orientações são dadas de forma simpática e atenciosa
A taça do mundo é nossa!
A taça do mundo é nossa!
Todo mundo participa!
Todo mundo participa e aproveita

O museu ocupa um espaço gigantesco, oferecendo o que há de melhor em tecnologia, interatividade e conteúdo.

Logo na primeira sala, monitores permitem ao visitante rever grandes jogadas de ídolos como Pelé, Garrincha e outros, narradas pelos maiores nomes do jornalismo esportivo brasileiro. Dudu teve a oportunidade de ver Armando Nogueira comentando um gol fantástico, fruto da genialidade de Jairzinho, Pelé e Carlos Alberto Torres. Depois, reviveu momentos memoráveis do ídolo de todo torcedor botafoguense, o incomparável Garrincha.

Futebol-arte nas pernas tortas de Garrincha
Futebol-arte nas pernas tortas de Garrincha

Uma galeria de quadros, fotografias, reportagens e material artístico e publicitário conta um pouco da história desta paixão nacional.

Dudu posou com orgulho ao lado do Fogão de áureos tempos...
Dudu posou com orgulho ao lado do Fogão de áureos tempos…
O acervo é realmente extenso!
O acervo é realmente extenso!

Ao entrar no vão para subir ao piso superior, a barulheira te assusta: você está no meio da torcida! Diversos telões, alternando imagens e sons das principais torcidas brasileiras, provocam essa sensação de estar em plena arquibancada!

Em seguida, chega-se à sala das copas do mundo, em que um terminal multimídia representa cada um dos campeonatos, mesclando textos informativos, citações, imagens e vídeos de jogos e referências históricas relacionadas.

As melhores jogadas de todas as copas estão à disposição dos visitantes
As melhores jogadas de todas as copas estão à disposição dos visitantes
A história das copas despertou a curiosidade das crianças
A história das copas despertou a curiosidade das crianças

Após um filme que contextualiza o futebol na história do Brasil, passando pela política, as artes plásticas, a música, o cinema e a literatura, você entra na sala do “Rito de Passagem”: o espectador acompanha, ao som de batidas do coração, a derrota por 2×1 para o Uruguai na década de 50, que inaugurou uma fase de grandes triunfos do nosso futebol.

O museu continua em direção a uma sequência super interessante de salas, que mostram os elementos “indispensáveis” ao jogo, e também as regras, os recordes e as curiosidades.

As primeiras chuteiras tinham travas de madeira!
As primeiras chuteiras tinham travas de madeira!
Pra não restar nenhuma dúvida, esta é a tal regra do Impedimento...
Pra não restar nenhuma dúvida, esta é a tal regra do Impedimento…
Essa frase é do tempo em que ele não estava na política!
Essa frase é do tempo em que ele não estava na política
O carioca Dudu curtiu o totó. Nossa anfitriã paulista Carol prefere o pebolim. Melhores amigos, com sotaques diferentes.
O carioca Dudu curtiu o totó. Nossa anfitriã paulista Carol prefere o pebolim. Melhores amigos, com sotaques diferentes.
Dudu e nossa anfitriã paulista Carol, no campo do Pacaembu
Dudu e Carol, no campo do Pacaembu

Em mais uma série de atrações interativas, as crianças jogaram sobre uma tela no chão e cobraram pênaltis contra um goleiro virtual. A garotada fazia fila para chutar de novo, de novo e de novo…

Gooooool do Dudu!!!!
Gooooool do Dudu!!!!

Já de saída, no estacionamento do estádio, nos deparamos com uma placa super convidativa… E terminamos o passeio de uma forma bem paulista! 🙂

E tudo terminou em pastel!
E tudo terminou em pastel!

O Museu do Futebol fica na Praça Charles Muller, S/N, Estádio do Pacaembu. Abre de terça a domingo, das 9 às 17h. Quando tem jogo no estádio, há alteração de horários. Os ingressos custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Crianças até 7 anos, professores da rede pública e portadores de deficiência (com um acompanhante) não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos.

A visita termina em uma loja bem bacana, que vende camisas de times nacionais e estrangeiros, chuteiras, bolas e diversas lembranças com o tema do futebol. Há um bar na saída, mas nenhum alimento ou bebida é vendido dentro do museu.

Em sua próxima visita a Sampa, não tenha dúvidas: o Museu do Futebol é um programa certeiro!

O Estádio do Pacaembu abriga esta atração imperdível em São Paulo
O Estádio do Pacaembu abriga este museu imperdível em São Paulo

.

Pascade: uma experiência gastronômica única em Paris

Em minha última passagem pela capital mundial da gastronomia, tive a sorte de conhecer este pequeno bistrô, pertinho da Opera Garnier. Estava por lá a trabalho, com três amigas, e saímos para jantar com a professora Gisèle Harboux e seu marido Christien, parisienses apaixonados pela boa cozinha.

A parisiense Gisêle Harboux, além de compartilhar conosco seu conhecimento sobre cadeias musculares, nos fez descobrir algumas delícias gastronômicas da sua cidade!
A parisiense Gisêle Harboux, além de compartilhar conosco seu conhecimento sobre cadeias musculares, nos fez descobrir algumas delícias gastronômicas da sua cidade!

O chef Alexandre Bourdas pratica sua arte na Bretanha, há bastante tempo, no restaurante SaQuaNa: célebre, concorrido e estrelado no guia Michelin. Recentemente, abriu esta versão mais despojada e mais acessível, no centro de Paris, aparentemente sem perder a qualidade.

A Pascade é uma receita típica da Páscoa na região dos Pirineus, e se trata de uma espécie de massa de pão, crocante por fora e macia por dentro, que serve como “ninho” para todas as criações culinárias da casa, de massas a peixes, de saladas a sobremesas. Segundo a descrição do site: “crépe suflê da região do Aveyron, ligeiramente caramelizado, guarnecido de composições extraídas de nossa inspiração gourmet”. Diferente e delicioso! O fato de que todos os pratos sejam servidos dentro da pascade provoca, ainda, um efeito estético bastante interessante.

Eu escolhi uma salada com salmão, queijo de cabra e mil outros detalhes. Fui a única do grupo a não optar pelo menu completo.
Eu escolhi uma salada com salmão, queijo de cabra e mil outros detalhes. Fui a única do grupo a não optar pelo menu completo.

Pode-se escolher o menu a preço fixo (32 euros), com entrada, prato principal , salada e sobremesa, ou então opções à la carte. As sobremesas são um sonho! Há bons vinhos para todos os bolsos. Vale dizer que, apesar de estar na moda, ter uma qualidade excepcional e estar muito bem localizado, o restaurante não vai exigir que você penhore as jóias da família para pagar a conta: não é super barato, mas é perfeitamente viável. É aconselhável, entretanto, fazer reserva (neste link).

As indescritíveis "mini pascades sucrées" ou "pequenas pascades doces".
As indescritíveis “mini pascades sucrées” ou “pequenas pascades doces”.

O Pascade fica na Rue Daunou 14, 75002. Abre das 12 às 23h, de terça a sábado.  Atenção: o restaurante fecha por 2 semanas em agosto, para férias (tipicamente francês…). É bom consultar o site para confirmar as datas!

A poucos passos do Palais Garnier, é uma excelente opção para depois do espetáculo. Não deixa de ser uma maneira de perpetuar a experiência artística, mesmo depois de fecharem-se as cortinas…

IMG_3758
Terminados os aplausos para o Ballet da Opera de Paris, começaram os suspiros pela arte de Alexandre Bourdas!

Amsterdã com crianças

A família Diab é figurinha fácil aqui no blog. Vira e mexe, eles aparecem, pois já vivemos belas aventuras juntos. No último verão, eles fizeram uma viagem fantástica à Europa e resolveram compartilhar com a gente a experiência. Minha amiga Anna me enviou um relato bem pessoal dos dias passados com Sérgio e as meninas na linda capital holandesa. Juliana estava com quase 8 anos, Mariana com quase 6. As duas aproveitaram demais e voltaram apaixonadas por esta cidade fascinante. Com a palavra, Anna Elisa Diab!

“Vamos falar sobre crianças em Amsterdã?
É uma cidade incrível!
Ficamos hospedados no hotel The America, localizado em frente ao Wondelpark – o Central Park de Amsterdã. Já vai a primeira dica: tem que rolar um piquenique lá! Claro que estivemos lá em julho e por isso foi possível fazer piqueniques 🙂 . O parque é uma delícia e o holandês realmente sai de casa nos dias de sol. Tem que aproveitar, né?
Voltando um pouquinho, o hotel é sensacional! Super localização, que compensa o preço um pouco mais caro. E é lindo!

A praça dos museus – Musemplein – fica ao lado do Wondelpark. Lá estão localizados os principais museus de Amsterdã: Van Gogh, o de arte moderna Stedelijk e o Rijks, onde estão obras clássicas de Rembrandt. É também nesta praça que tiramos a clássica foto I ❤ AMSTERDAN!

A Juju adorou ficar em cima do A
A Juju adorou ficar em cima do A

Bem, a primeira visita foi ao Museu Van Gogh. Incriiiiivel! As meninas ficaram fascinadas com as obras e a loja do museu. Sempre saíamos com sacolinhas rsrsrs… Na saída, vale um passeio ou piquenique na praça. Se for no verão, vale até esticar uma canga para descansar ao sol… O holandês adora isso!

Eu concordo com a Juju: Quarto em Arles também é meu Van Gogh favorito!
Eu concordo com a Juju: Quarto em Arles também é meu Van Gogh favorito!

O Stedelijk é de arte moderna e é igualmente incrível. Tem um ateliê para crianças, e o trabalho delas fica lá exposto. Não fomos ao Rijks e por isso teremos que voltar a Amsterdã 🙂 . Compramos todos os ingressos pelo site dos museus. Há filas na bilheteria, então é melhor comprar daqui.
Nos finais de semana do verão, tem uma feirinha na Musemplein. Acho que sempre vale visitar uma feirinha….

As meninas amaram o Stedelijk
As meninas amaram o Stedelijk
A produção artística das meninas ficou exposta lá no ateliê
A produção artística das meninas ficou exposta lá no ateliê
Juju e Mari se esbaldaram na Musemplein
Juju e Mari se esbaldaram na Musemplein

Nao pode faltar a visita à casa de Anne Frank. Impressionante! As meninas nem piscavam e ficaram grudadas em mim. Dá pra sentir realmente a carga de sofrimento da família que passou dois anos escondida da polícia nazista. O esconderijo é autêntico e bem preservado. Entramos pela passagem original: a famosa estante (famosa para quem leu o livro!), localizada nos fundos do local de trabalho do pai. É possível ver parte do diário original, escrito por ela, e recortes de revistas nas paredes do seu quarto. Comentário da Juliana ao final: ” mamãe, aqui dentro dá um negócio na gente…”. E o do Sérgio: ” Preciso tomar uma cerveja” rsrsrs. Comprar também pelo site!  Eu esqueci e enfrentamos uma hora e meia de fila! Mas valeu!

Amsterdã é uma cidade para conhecer a pé ou de bicicleta. Pode-se alugar bicicletas com cadeirinhas para crianças. Caminhando é possível encontrar cantinhos legais e surpreendentes: um restaurante argelino com mesas na calçada, uma pequena porta que dá acesso a uma grande galeria de arte ou uma loja de discos de vinil, que parece ter saído dos anos 70. Sem esquecer o trailer onde você come um arenque marinado maravilhoso, com uma cerveja! E o mercado de flores… Bom lugar para compras, mais barato que outras cidades européias.

Mercado de flores
Mercado de flores

 

Rua do comércio
Rua do comércio

Vale também o passeio de barco pelos canais. Mas tem que se assegurar de que o barco vai retornar para o ponto em que você embarcou: alguns fazem uma rota parcial. Pegamos um desses e paramos na estação de trem! Voltamos de taxi…

Não fomos no Red Light District por razões óbvias!”

Passeio pelos canais
Passeio pelos canais

 

Lindos canais de Amsterdã
Lindos canais de Amsterdã

Você ainda estava em dúvida se as crianças aproveitariam uma visita a Amsterdã? Pode fazer as malas! Anna querida, obrigada por dividir com a gente estas aventuras. Estamos todos esperando as próximas…

Museus em Paris que valem a visita – Parte 2

No post do dia 30 de agosto, comecei a série sobre museus interessantes em Paris, para quem quer algo além do Louvre e do Musée d’Orsay. Hoje, vou falar exclusivamente sobre aquele que pode ser considerado tão imprescindível quanto os dois anteriores: o Centre George Pompidou.

O museu de arte moderna de Paris conta com uma coleção impressionante dos maiores nomes da arte do século XX: Picasso, Kandinsky, Braque, Matisse e tantos outros, que é até difícil enumerar. Sem contar que o prédio, em si, é uma atração à parte. A fachada de canos aparentes e coloridos, a arquitetura absolutamente inusitada e as rampas e escadas externas, que permitem incríveis vistas da cidade, fazem do Pompidou um programa imperdível.

O museu abrigou algumas das exposições temporárias mais impressionantes que presenciei na vida, como a retrospectiva da obra completa de Kandinsky e a incrível mostra sobre as relações entre a Dança e as Artes Plásticas. Vale à pena entrar no site antes de viajar para conferir a programação e, conforme for, comprar ingresso antecipado. As melhores exposições costumam lotar e/ou ter filas enormes.

A livraria oferece muitas opções bacanas para estimular a sensibilidade artística nas crianças. Dudu adorou o livro sobre Kandinsky que eu comprei pra ele, cheio de adesivos para ele compor suas próprias obras, segundo o estilo do artista. Por causa disso, quando eu o levei a uma exposição de arte russa no Centro Cultural Banco do Brasil (aqui no Rio), ele reconheceu o Kandinsky de longe, em meio aos outros quadros.

Há toda uma programação voltada para as crianças, com oficinas de arte e atividades variadas. Minha amiga Anna levou suas meninas de 5 e 7 anos a Paris, e ambas concordaram em eleger o Pompidou o museu mais legal da cidade.

Centro George Pompidou Fonte: site Great Buildings
Centro George Pompidou
Fonte: site Great Buildings