Museus em Paris que valem a visita – Parte 2

No post do dia 30 de agosto, comecei a série sobre museus interessantes em Paris, para quem quer algo além do Louvre e do Musée d’Orsay. Hoje, vou falar exclusivamente sobre aquele que pode ser considerado tão imprescindível quanto os dois anteriores: o Centre George Pompidou.

O museu de arte moderna de Paris conta com uma coleção impressionante dos maiores nomes da arte do século XX: Picasso, Kandinsky, Braque, Matisse e tantos outros, que é até difícil enumerar. Sem contar que o prédio, em si, é uma atração à parte. A fachada de canos aparentes e coloridos, a arquitetura absolutamente inusitada e as rampas e escadas externas, que permitem incríveis vistas da cidade, fazem do Pompidou um programa imperdível.

O museu abrigou algumas das exposições temporárias mais impressionantes que presenciei na vida, como a retrospectiva da obra completa de Kandinsky e a incrível mostra sobre as relações entre a Dança e as Artes Plásticas. Vale à pena entrar no site antes de viajar para conferir a programação e, conforme for, comprar ingresso antecipado. As melhores exposições costumam lotar e/ou ter filas enormes.

A livraria oferece muitas opções bacanas para estimular a sensibilidade artística nas crianças. Dudu adorou o livro sobre Kandinsky que eu comprei pra ele, cheio de adesivos para ele compor suas próprias obras, segundo o estilo do artista. Por causa disso, quando eu o levei a uma exposição de arte russa no Centro Cultural Banco do Brasil (aqui no Rio), ele reconheceu o Kandinsky de longe, em meio aos outros quadros.

Há toda uma programação voltada para as crianças, com oficinas de arte e atividades variadas. Minha amiga Anna levou suas meninas de 5 e 7 anos a Paris, e ambas concordaram em eleger o Pompidou o museu mais legal da cidade.

Centro George Pompidou Fonte: site Great Buildings
Centro George Pompidou
Fonte: site Great Buildings

 

Algumas dicas essenciais de Paris

Eu já falei sobre Paris diversas vezes aqui no blog. Citei o Pariscope como minha dica mais importante , dei o caminho das pedras para comprar ingressos para concertos, listei meus lugares favoritos para tomar chá (veja aqui e aqui) e revelei minhas preferências na hora das compras (veja aqui e aqui).

Ainda pretendo escrever muito sobre esta cidade que frequento com grande assiduidade, pelo trabalho e/ou pelo prazer de bater perna por suas ruas adoráveis. Hoje vou dar algumas dicas que considero imprescindíveis!

 

1- Paris Museum Pass: Você pode comprar pelo site ou em qualquer dos monumentos conveniados, é um passe que vale por 2, 4 ou 6 dias consecutivos (respectivamente 42, 56 e 69 euros), e inclui entrada ilimitada em quase todos os monumentos e museus de Paris (não inclui a Torre Eiffel). Além de economizar dinheiro, na maioria deles você fura a fila, essa é a principal vantagem. No Louvre, você vai adorar entrar livre, leve e solto por uma porta e ver a multidão esperando do outro lado… Em Versailles não tem jeito, tem que encarar a fila, mas pelo menos você só pega para entrar, evitando a de comprar ingresso. Uma sugestão: se você não comprar o passe pela internet, compre na Conciergerie, que fica ao lado da Sainte Chapelle, na Ile de la Cité. Lá nunca tem fila, e vale uma rápida visita às celas onde ficaram presos Robespierre, Maria Antonieta e vários heróis da Revolução Francesa. Depois, você pode ir na Sainte Chapelle e na Catedral de Notre Dame, que é quase do lado. O passe é válido para subir nas torres da Catedral. Na rua lateral, onde fica a fila para subir nas torres, tem umas carrocinhas que vendem crepes e galletes. Não perca! Uma delícia! Logo ao lado, na Ile St Louis, tem outra delícia imperdível: sorvetes Bertillon, os melhores de Paris. São vendidos em diversos locais na ilha, se você comprar no balcão, pra sair tomando pela rua, é bem mais barato.

A Vênus de Milo, uma das mais importantes e belas obras do acervo do Louvre
A Vênus de Milo, uma das mais importantes e belas obras do acervo do Louvre
IMG_0769
A subida no Arco do Triunfo está incluída no Paris Museum Pass

2- Hotel Clément: desde que conheci este hotel, nunca mais fiquei em outro. Fica no coração de St Germain de Près, ao lado do metro Mabillon (6, Rue Clément). Simples, porém limpo, silencioso, organizado, com ótimo atendimento e preço abaixo da média. Como a maioria dos hotéis em Paris, o elevador é minúsculo e o quarto poderia ser maior… Mas acho o custo-benefício excepcional! A suíte júnior é ideal para casais com uma criança. Infelizmente, não há quarto quádruplo.

3- Ingresso antecipado para a Torre Eiffel: o site oficial do principal ponto turístico de Paris tem uma versão em português, onde se pode adquirir ingressos antecipados para subir na famosa torre. Como esta possibilidade é relativamente nova, eu confesso que nunca subi, mesmo depois de ter ido umas 20 vezes à Cidade Luz! É que as filas são sempre tão grandes, que eu desanimo… Ano que vem, vou levar o Dudu, então vai rolar com certeza! É recomendável antecedência, pois há um número limitado de ingressos por dia.

O principal ícone parisiense
O principal ícone parisiense

4- Carrossel du Louvre: o centro comercial que fica no subsolo do Museu do Louvre é uma ótima opção para “quebrar” uma longa visita às galerias. Tem o Mariage Frères, minha casa de chá preferida; a incrível loja Nature et Découvertes, com uma diversidade de itens para amantes da natureza (aventureiros ou não); e a Apple Store, entre outras lojas e restaurantes. A propósito: muita gente diz que são necessários vários dias para visitar o Louvre. Bem, a não ser que você esteja fazendo doutorado em história da arte, não precisará de 2 ou 3 dias só neste museu. Um dia ou parte dele é suficiente. Há muita coisa pra ver em Paris, ainda mais se você dispuser de apenas uma semana ou menos!

5- Café da manhã fora do hotel: eu sei que muita gente gosta de tomar café da manhã no hotel, porque já sai “pronto”. A questão é que, em geral, o salão de “petit déjeuneur” fica no subsolo, fechado, em uma cidade que tem como uma de suas principais características, a profusão de cafeterias com as famosas mesinhas na calçada, viradas para o “movimento”. Eu considero a experiência de tomar um expresso acompanhado de um croissant ou uma tartine (baguette tostada com manteiga), sentada em um local como este, item fundamental em qualquer visita a Paris. Você entra no clima e se sente parte do contexto.

6- Maquiagem: a compra da maquiagem é praticamente incontornável, quando se visita Paris. Mesmo que você seja homem, pois terá levado, com certeza, uma listinha de encomendas. Mas se você for mulher, lembre-se de que nas lojas de departamentos, quando você for fazer suas comprinhas no quiosque das principais marcas, a atendente provavelmente vai se oferecer para te fazer uma linda maquiagem na hora. É claro, você vai se sentir bela como uma fada e vai querer comprar tudo. Mas, mesmo que só leve um batom, sairá de lá “toda trabalhada no glamour” rsrsrsrs. Então, aproveite para comprar maquiagem no dia que você já tiver programado um teatro, concerto ou jantar especial, pois a produção já estará prontinha! 😉

Minha amiga ficou ainda mais linda, toda produzida na Shiseido do Le Bon Marché
Minha amiga ficou ainda mais linda, toda produzida na Shiseido do Le Bon Marché

 

Ainda tenho muito a dizer sobre Paris… Restaurantes, museus, lojas, atrações para crianças… Essa é a parte mais divertida em se ter um blog, posso continuar o assunto em outros posts e prolongar nossa conversa sobre meu tema favorito!

Então, um abraço e até o próximo!

Meus 5 destinos mais sonhados

Se eu fosse listar aqui todas as viagens que gostaria de fazer, acho que ficaria semanas só nisso… Escolhi então os 5 destinos que mais alimentam minha imaginação atualmente. Não quero chamar esta relação de “wish list”, prefiro “to do list”, pois todas já estão sendo programadas. Mesmo que eu não saiba ainda quando irão, de fato, acontecer…

1- Escócia e Nortúmbria
Esta já tem data e hora marcada, vai acontecer em julho de 2015. Estou na organização de um curso para que os praticantes de cadeias musculares GDS (método fisioterapêutico cuja formação eu coordeno, no Rio de Janeiro) possam conhecer nossa fonte, o Centro de Formação Philippe Campignion. Serão mais de 40 brasileiros invadindo o norte da França! Terminado o curso, parto com Alexandre e Dudu para esta viagem tão sonhada, que já está sendo planejada nos mínimos detalhes. Progressivamente, vou dando notícias do roteiro aqui no blog. Por ora, já adianto que teremos uma programação Harry Potter, com a visita ao Alnwick Castle, na Nortúmbria, e um passeio no trem a vapor The Jacobite, o autêntico Hogwarts Express. Fora os castelos, os lagos, as Highlands, Edimburgo… Mal posso esperar!!!

O trem a vapor The Jacobite passa pelo viaduto Glenfinnan, cenário dos filmes de Harry Potter Fonte: http://www.westcoastrailways.co.uk
O trem a vapor The Jacobite passa pelo viaduto Glenfinnan, cenário dos filmes de Harry Potter
Fonte: www.westcoastrailways.co.uk

2- Alemanha
Meu roteiro imaginário começa em Berlim, desce de carro pela Rota Romântica e chega em Munique. De lá, sigo para Salzburg e fecho a viagem com o maior festival de música clássica do mundo. Estive neste festival uma vez, sozinha, em 1997. Agora quero levar meus dois rapazes para viver comigo esta grande emoção. Por enquanto, vou aproveitando as dicas da minha amiga Viviane Ribas, que descreve seu passeio pela Alemanha no blog Vivi em Viagens, e da Francine Agnoletto, do blog Viagens que sonhamos

3- Egito

Pirâmides, o deserto, antigas civilizações, um cruzeiro pelo Rio Nilo… Chego a suspirar….

4- Praga

Do leste europeu, só conheço a Áustria. Gostaria de visitar a Polônia (de onde veio minha família paterna), a Hungria, a Croácia e a Eslovênia. Mas, em primeiro lugar, Praga. Cidade linda, bem conservada, onde se respira música. Espero que não demore a surgir a oportunidade!

5- Festivais de música clássica
Lucerna, Verbier, Tanglewood… Como mencionei acima, já estive no Festival de Salzburg. Para quem é amante da música como eu, é uma experiência incomparável. A cidade gira em torno do festival, há uma concentração de energia quase palpável. Eu assistia a dois concertos por dia, um de manhã e outro à noite. Os fantásticos festivais de Lucerna e Verbier me oferecem, ainda, a possibilidade de conhecer a Suíça. O de Tanglewood, onde meus queridos Yo Yo Ma, Lang Lang e Joshua Bell sempre marcam presença, pode ser facilmente combinado com um pulinho em Nova York. Difícil é escolher!

Salzburg, cidade dos sonhos de qualquer amante da música clássica
Salzburg, cidade dos sonhos de qualquer amante da música clássica
Gros Festspielhaus: principal teatro do Festival de Salzburg, onde vi Seiji Osawa reger a Filarmônica de Viena
Gros Festspielhaus: principal teatro do Festival de Salzburg, onde vi Seiji Osawa reger a Filarmônica de Viena

 

Esta semana fiz aniversário. No ano que vem, a esta altura, já terei cumprido a primeira missão desta lista. Espero que seja sempre assim, todo ano… 🙂

França 2015: é hora de pensar nas passagens!

Fiz uma pesquisa de preços da passagem Rio-Paris-Rio, em diversas companhias aéreas, para checar se o desconto que a Air France está oferecendo aos participantes do curso de reciclagem no Centre de Formation Philippe Campignion é, de fato, vantajoso. Mesmo que você não faça parte do grupo que vai partir nessa “peregrinação”, poderá aproveitar para ter uma ideia da diferença de valores entre as principais empresas, caso também esteja planejando ir à Cidade Luz no ano que vem.

Quero deixar claro que não estou recebendo nenhuma comissão da Air France. Meu desconto no bilhete será igual ao dos outros participantes. Existe a possibilidade, de acordo com as vendas vinculadas ao evento, de que eu ganhe uma passagem para outra ocasião, mas isto é bastante improvável, pois seria necessária uma quantidade de bilhetes desproporcional às dimensões do nosso curso. Enfim, firmei a parceria com a Air France para beneficiar a todos nós, juntos, como grupo que somos.

Para quem acha que eu estou meio adiantada no planejamento, vale lembrar que uma passagem com milhas deve ser adquirida com a máxima antecedência, principalmente se não há muita margem para flexibilidade de datas. Conhecer os valores pode ajudar àqueles que estão na dúvida se usam seus programas de milhagem ou deixam para uma melhor oportunidade. Julho e agosto na Europa é alta temporada, são necessários mais pontos do que em outras épocas, então pode valer mais à pena pagar esta passagem e gastar as milhas para uma viagem com acompanhante, em outra ocasião. Além disso, muitas vezes a compra bastante antecipada pode garantir melhores preços. Se você não tem milhas suficientes para o bilhete de ida e volta, saiba que  utilizá-las apenas para o bilhete de ida não é vantajoso, o custo de uma “perna” é quase igual ao de ida e volta. Por todas essas razões, acho importante conhecer, desde já, o panorama geral de valores dos bilhetes.  Isso pode ajudar a escolher, a tempo, a melhor maneira de realizar o sonho de beber na fonte das Cadeias Musculares e Articulares GDS!

Sem levar em consideração o custo, cabe dizer que a Air France tem uma vantagem importante em relação às outras: é a única que faz  vôo direto. Ou seja, se os preços forem equivalentes, a Air France ganha pela comodidade (e pelos lanchinhos deliciosos…).

Utilizei, na pesquisa, as mesmas datas de ida e volta, de 11 de julho a 1 de agosto de 2015 (ambas no sábado), saindo do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Os resultados foram:

 

Air France (sem o desconto): R$ 3832,70

Air France (com o desconto, vôo direto): R$ 3653,41

Air France (com o desconto, com escala em Amsterdam só na volta): R$ 3527,08

Lufthansa (escala em Frankfurt): R$ 3505,33

Tam (escala em Guarulhos): R$ 4381,12

Iberia / British Airways (escala em Madrid /  Londres): R$ 4320,84

Tap (escala em Lisboa): bizarros R$ 8640,61

 

Ou seja, para quem não é participante (ou acompanhante) do curso de cadeias musculares, a Lufthansa sem dúvida oferece melhor preço. Com o desconto do evento, o valor da Air France se aproxima, mas não empata. A grande vantagem é ser vôo direto. Não esqueça de imprimir o e-mail de confirmação da inscrição no curso, ele pode ser solicitado no aeroporto como justificativa da tarifa promocional. Os acompanhantes também têm direito ao benefício.

Ficou mais fácil decidir? Agora é hora de começar o planejamento concreto! Quem precisar de ajuda, é só pedir aqui nos comentários.

Bons preparativos!

 

A última vez que a galera das cadeias musculares invadiu o Aeroporto Charles de Gaulle foi no Congresso Internacional da APGDS, em 2010. É hora de repetir a dose!
A última vez que a galera das cadeias musculares invadiu o Aeroporto Charles de Gaulle foi no Congresso Internacional da APGDS, em 2010. É hora de repetir a dose!

 

 

Meus 5 blogs favoritos

Esta semana o blog Roteiro Renatours vai completar um mês. Um enorme OBRIGADA a todo mundo que dá atenção aos palpites desta fisioterapeuta-blogueira, estou em clima de comemoração!
Na coluna dos 5 favoritos de hoje, resolvi prestar uma singela homenagem a alguns blogueiros brasileiros que já fazem um trabalho super bacana há mais tempo do que eu. Há blogs para todos os estilos, com todos os perfis. A diversidade é que faz com que o universo da “blogosfera” seja tão rico e interessante. Existem centenas que eu ainda nem tive a oportunidade de conhecer, e alguns outros que eu sigo e poderiam perfeitamente estar nesta lista, mas a proposta é escolher apenas cinco. Então, lá vai: estes foram os que mais conquistaram minha admiração e, principalmente, meu coração! 🙂

1- Viajando com pimpolhos
Sut-Mie Guibert tem um blog super dinâmico e informativo, onde ela une as próprias experiências com as de outras famílias colaboradoras, o que amplia muito a diversidade dos destinos e estilos de viagens descritas. É também moderadora do grupo Viagens em família no Facebook, onde eu observo sua disponibilidade e generosidade para responder às perguntas de todo mundo.

2- Malas e Panelas
Andrea e Luciano gostam de viajar e de cozinhar, e têm um blog literalmente delicioso, onde os relatos de viagens se misturam às receitas, tudo com leveza e bom humor.

3- Tempo junto
Patrícia Marinho dá mil ideias simples e criativas para se aproveitar bem o tempo com os filhos, mesmo que seja pouco. Tem coisas pra fazer no restaurante, na praia e num dia chuvoso. Tem atividades para o carro e para o avião. Imprescindível!

 

Olha só o Dudu, visitando o blog Tempo Junto, com sua maleta de atividades para o avião! Está no post "O que você coloca na mala para distrair seu filho nas viagens".
Olha só o Dudu, visitando o blog Tempo Junto, com sua maleta de atividades para o avião! Está no post “O que você coloca na mala para distrair seu filho nas viagens“.

 

4- Coisas de Mãe
Patrícia Papp fez tanto sucesso que lançou um livro, que já é best seller. O blog dela é abrangente, interessante e informativo, sem perder o toque pessoal, que diferencia os blogs dos sites institucionais. Uma referência.

5- Para a Disney… e além!
Percebo muitas afinidades entre o blog de Carlos Monteiro e Isabel Trindade e o meu. É um blog bastante pessoal, que fala das aventuras do casal com sua filha única, que deve regular em idade com o Dudu. Eles também correm atrás das viagens musicais, só que a onda deles é Bon Jovi e a minha é Beethoven. Mas eu me sinto em casa no blog deles! E, justamente por isso, presto bastante atenção no que eles falam sobre os lugares que ainda pretendo visitar…

E você? Quais os seus blogs preferidos? Conta pra mim, aqui nos comentários!

Domingo que vem, tem mais 5 favoritos. E tem post também toda terça e sexta. Um abraço e até lá!

Deslocamentos dentro da Europa: de trem ou de avião?

Existem alguns fatores que devem ser levados em conta na hora de tomar essa decisão. Os mais relevantes são: preço, tempo de viagem e comodidade.

Quando se trata de avaliar o preço, você deve orçar três opções possíveis:

 

  1. Um único bilhete de avião, com as paradas previstas. No site da companhia aérea, ao fazer a simulação, escolha a opção “múltiplos destinos” e já inclua todas as cidades. Por exemplo: Rio – Paris dia 28/9; Paris – Londres dia 4/10; Londres – Rio dia 10/10. Dependendo da companhia e do número de paradas, isto tanto pode sair caríssimo quanto uma ótima pedida. Confira também o valor do bilhete de ida e volta simples.
  2. Bilhete de avião interno em companhia low cost. Às vezes, há precinhos inacreditáveis! Sugiro que você pesquise em um site “genérico”, tipo  eDreams ou Decolar, escolha a companhia e depois, se for efetivamente comprar o bilhete, entre diretamente no site da companhia aérea, para comparar. Não esqueça de que os sites de busca cobram um taxa de serviço no final. Some o custo dos diferentes bilhetes internos com o do seu vôo do Brasil e compare com o anterior.
  3. O trem na Europa não é tão barato quanto você poderia pensar. Pode custar o mesmo que um bilhete de avião. Mas é possível encontrar uma boa promoção. Em geral, os sites das companhias ferroviárias de cada país oferecem melhores preços do que os sites “genéricos”, como o Rail Europe, mas você deve pesquisar. Seguem os links específicos de alguns países:

 

França

Reino Unido

Itália

Espanha

Portugal

Suíça

Alemanha

Outro fator importante é o tempo de viagem. Aqui, não se deve considerar somente a duração marcada no bilhete, mas o tempo total, incluindo o deslocamento para o aeroporto, tempo de check in, etc. Geralmente, os aeroportos são distantes do centro da cidade, enquanto as estações de trem costumam ser bastante acessíveis. Além disso, para o trem, você não precisa chegar com tanta antecedência. O trajeto Paris-Londres, por exemplo, acaba dando aproximadamente o mesmo tempo total, pois os aeroportos de Heathrow e Charles de Gaulle são distantes do centro e o Eurostar é um trem de alta velocidade, que faz o trajeto em 2h30min. Quando a distância é muito grande, ou não há trens diretos, o vôo pode compensar.

 

Finalmente, o fator comodidade. Se os dois quesitos anteriores empatarem, eu sempre vou preferir o trem. Aliás, mesmo que o avião ganhe de pouco, no preço e no tempo. Aeroporto é uma chatice, tem que despachar e resgatar malas, entrar em fila, passar no controle de passaporte, etc. Para pegar o trem, você chega na estação uns 20 minutos antes, entra com a sua mala (perto de cada porta de entrada há um local para deixar as bagagens), depois sai e pronto. A exceção é o Eurostar para Londres, onde você terá de chegar uma hora antes e passar pelo controle de passaporte, mas mesmo assim é beeeem mais prático do que pegar um avião. Sem contar o stress para quem tem medo de voar… A viagem de trem, ainda por cima, tem um benefício adicional: é um grande passeio. Você compra um lanchinho com champagne no vagão restaurante e relaxa, apreciando toda a paisagem na janela!

 

Quanto aos famosos passes de trem, eu acho que só valem à pena se você pretende visitar muitas cidades em um curto espaço de tempo. Neste caso, é bom comparar os preços com o aluguel de carro. Eu usei o Europass quando viajei sozinha, na casa dos 20 anos, e foi perfeito. Porém, se vão duas ou mais pessoas, dependendo do roteiro, o carro pode ser mais barato, além de dar mais liberdade. Por outro lado, o carro só é prático quando se trata de um passeio pelo interior, percorrendo pequenas cidades e vilarejos (Toscana, Costwolds ou Provence, por exemplo). Quando o roteiro foca nas capitais e cidades maiores, onde há dificuldade de estacionamento e o transporte público é eficiente, recomendo fortemente a opção pelo trem.

 

Da estação de trens no Aeroporto de Paris, é possível partir diretamente para toda a Europa
Da estação de trens no Aeroporto de Paris, é possível partir para qualquer lugar da Europa

 

Minha velha amiga Estação de Arras, rumo ao Centre de Formation Philippe Campignion
Minha velha amiga Gare d’Arras, para onde pegamos o TGV (trem de alta velocidade) rumo ao Centre de Formation Philippe Campignion

 

A Europa entrelaçada e conectada
A Europa entrelaçada e conectada

 

Bem, com todos estes elementos, acredito que você esteja devidamente equipado para tomar suas decisões. Agora é só escolher o roteiro!

E se precisar de mais alguma dica, poste aqui nos comentários. Será um prazer te ajudar.

Fisioterapeutas a bordo

Dentro de um ano, 40 fisioterapeutas brasileiros realizarão um sonho: fazer um curso com o célebre professor Philippe Campignion, em seu próprio centro de formação, no norte da França. A partir de hoje, começarei a dedicar posts regulares a este projeto que venho desenvolvendo com tanta empolgação!

O curso será restrito a fisioterapeutas com formação completa no método de Cadeias Musculares e Articulares GDS. As vagas se esgotaram nas primeiras horas de divulgação. Conseguimos uma parceria com a Air France, que concederá desconto nas passagens de participantes e acompanhantes, e dentro de alguns dias poderemos dar a largada nos preparativos. Todas as informações estão no site da Kiné Clínica de Fisioterapia e Centro de Formação.

 

É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso
É assim que nosso curso aparece no site da Air France, quando entramos com o código de acesso

 

As atividades no pequeno vilarejo de Camblain l’Abbé durarão apenas 4 dias, sendo a primeira turma de 13 a 16 de julho e a segunda de 3 a 6 de agosto de 2015. É óbvio que ninguém vai se despachar para o outro lado do oceano pra bater lá e voltar, já soube até que vai ter uma caravana dos maridos… 🙂 Por isso, vou publicar muitas dicas sobre onde ir e o que fazer antes e depois de queimar os neurônios com os estudos de casos do nosso mago da biomecânica.

Estou disponível para ajudar também com as passagens de trem, é só me avisar!

 

A viagem de Paris a Arras dura 50 minutos no trem de alta velocidade (TGV)
cópia de Camblain
Da estação de trens em Arras, vamos de táxi até Camblain l’Abbé

 

Minha primeira visita à França foi em 1997. Uma viagem que mudou minha vida para sempre. Fui fazer minha formação em Cadeias Musculares e Articulares GDS, onde conheci Philippe Campignion, professor que se tornou minha grande referência profissional e com quem trabalho até hoje. Foi também a primeira grande viagem que planejei (os primórdios da Renatours), ainda na idade da pedra da internet. Depois do curso, passei um mês e meio de sonho, pela Europa, sozinha, foi uma experiência e tanto! Fiz outros pequenos cursos, rodei pela Provence e, principalmente, vivi uma das grandes emoções da minha história: o Festival de Salzburg, uma dos maiores ícones mundiais em música clássica. Mas tudo isso é tema para outras publicações…

Naquela época, quem quisesse aprender o Método GDS de Cadeias Musculares, tinha que iniciar o curso em São Paulo e depois fazer dois módulos super intensivos na Europa (um na França e outro na Bélgica). Isso durou até o ano 2000, quando passamos a ter a formação completa em São Paulo. Desde 2008, a formação acontece também aqui no Rio, sob minha coordenação e com uma equipe de professores super competente, e é por isso que eu viajo tanto para a França! Nestes 14 anos, mais de 300 fisioterapeutas se formaram no Brasil. E a gente começou a perceber que muitos tinham um desejo secreto… Conhecer pessoalmente o Centro de Formação Philippe Campignion, para beber diretamente da fonte. Mas como, sem falar francês?!

Foi então que pintou essa ideia bacana! Organizar um curso para fisioterapeutas brasileiros, lá em Camblain l’Abbé, com tradução para o português. A proposta fez tanto sucesso que tivemos de abrir uma segunda turma, e mesmo assim estamos com uma longa fila de espera. Estou desconfiada de que ainda faremos mais “excursões terapêuticas” deste tipo…

Enquanto isso, renovem seus passaportes e preparem-se para nossa contagem regressiva coletiva!

 

Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!
Philippe e Lori Campignion, com seus netos, nos esperam no ano que vem!

Direto do cinema para o aeroporto

Na coluna “Meus 5 favoritos” de hoje, o assunto é cinema. Quando parei pra pensar nos filmes que me deram uma irresistível vontade de viajar imediatamente, a lista cresceu rapidinho. Mas a proposta é escolher cinco, então fiz uma opção eclética e afetiva… Vamos lá:

 

1- Todos dizem eu te amo, de Woody Allen (EUA, 1997)

Não dá nem pra enumerar quantos filmes lindos foram rodados em Paris, mas Woody Allen, dançando com Goldie Hawn, às margens do Sena, dá vontade de sair correndo para o primeiro balcão da Air France!!!

2- Mediterrâneo, de Gabriele Salvatore (Itália, 1991)

Uma comédia deliciosa, em que um grupo de soldados italianos é deixado para trás numa pacata ilha grega, durante a Segunda Guerra. Os rapazes logo descobrem que não poderia ter lhes acontecido nada melhor! Paisagens mediterrâneas de tirar o fôlego e cinema da melhor qualidade.

3- Sob o sol da Toscana, de Audrey Wells (EUA e Itália, 2003)

Comédia romântica sessão da tarde, que te dá ímpetos incontroláveis de imitar a protagonista, partindo de mala e cuia para o interior da Itália.

4- Gabbeh, de Mohsen Makhmalbaf (Irã, França, Inglaterra e Alemanha, 1996)

Foi o primeiro de muitos filmes iranianos a que tive o prazer de assistir. Uma obra de arte cheia de sensibilidade, suavidade e beleza. A cultura persa desfiada nos detalhes de um tapete. Poucas vezes a fotografia e as paisagens em um filme me deixaram tão extasiada. Bateu um desejo de passear pelos desertos e oásis do Irã…

5- A noviça rebelde, de Robert Wise (EUA, 1965)

Por essa você não esperava, não é? Mas eu preciso confessar que, quando estive em Salzburg, em cada esquina me lembrava deste filme, um dos meus favoritos de toda a vida. A doida aqui chegou ao ponto de caminhar pela Mirabellplatz cantando Do Re Mi (na cabeça, em silêncio…), seguindo o trajeto (sem dançar…) e visualizando mentalmente a coreografia das crianças. Esse musical me lembra de como Salzburg é mágica e me faz querer voltar lá milhares de vezes.

 

As crianças von Trapp cantaram Do, Re, Mi na charmosa Mirabellplatz
As crianças von Trapp cantaram Do, Re, Mi na charmosa Mirabellplatz
Salzburg 2
Salzburg vista do convento em que viveu Maria von Trapp. Só no filme, pois na verdade a construção era uma fortaleza!

 

Esta é uma das minhas possíveis listas de 5 favoritos. E você? Que filmes te ejetam do sofá direto pro avião? Conta pra mim, aqui nos comentários! Já vou fazer a pipoca…

 

Literatura para viagem

Eu acredito que uma certa preparação pode tornar uma viagem muito mais fascinante, especialmente para as crianças. Existem diversas maneiras de familiarizar seu filho com aquilo que ele vai encontrar ao longo do roteiro de férias. Este processo fará com que ele se sinta à vontade, por encontrar um ambiente conhecido, e mais atento, pela curiosidade de descobrir, ao vivo, algo que já tenha sido objeto de seu interesse.

No post Formulando encantamentos, eu falei bastante sobre filmes – especialmente de animação – que se passam em alguns destinos frequentemente procurados. Hoje, eu gostaria de conversar sobre literatura.

Existem no mercado diversos guias de turismo para quem viaja com crianças. Eles são de grande utilidade, mas a arte se vincula à emoção, e isso faz toda a diferença. Meu tema aqui são livros que serão lidos com ou para as crianças, antes de partir para a aventura. Afinal, quem não sentiu vontade de rumar direto para o aeroporto, depois de ler um livro ou assistir a um filme que te transportou afetivamente para outro lugar?

Podemos preparar uma criança para a descoberta de um novo destino através de histórias passadas ali. A lista de títulos é inesgotável! Contar histórias abre portais na imaginação dos pequenos, conectando-os com o mundo descrito nas páginas do livro. Quando eles estiverem, em pessoa, no cenário destas histórias, a realidade será percebida de forma muito mais rica. Se você quiser dicas de livros passados em um local específico, fique à vontade para citá-lo nos comentários e eu ficarei feliz em ajudar.

No post de hoje, vou dar algumas sugestões, que considero particularmente preciosas.

Em primeiro lugar, recomendo a série “Diário de Pilar”, da autora carioca Flávia Lins, editada pela Zahar. Em uma narrativa cativante e inteligente, Pilar, seu amigo Breno e o gatinho Samba pulam numa rede mágica e mergulham, junto com o pequeno leitor, no passado e na geografia da Grécia, Egito, Amazônia e Machu Picchu. Pilar não para quieta, então já está no forno uma jornada da África até a Bahia. Outros destinos são mencionados no blog Diariodepilar, onde a criança pode acompanhar as peripécias desta simpática personagem ao redor do mundo. Uma boa ideia é comprar um caderno e incentivar seu filho ou filha a produzir seu próprio diário de viagens, à moda de Pilar. O resultado pode ser surpreendente!

 

A série Diário de Pilar, de Flávia Lins
A série Diário de Pilar, de Flávia Lins

 

Se você está indo para Orlando, uma ótima ideia é explorar a obra do Dr. Seuss. Sabe aquela área para crianças pequenas da Universal Islands of Adventure, que todo mundo acha uma gracinha, mas não sabe direito do que se trata? Pois é, a Seuss Landing é dedicada a um dos maiores autores infantis norte-americanos, cujos personagens povoam a imaginação de gerações de crianças. Há, inclusive, uma livraria dentro do parque, repleta de seus inúmeros títulos. O mais famoso é “O gatola da cartola” (The cat in the hat, editado em português pela Cia. das Letras), que virou um desenho animado exibido pelo canal Discovery Kids. Os ajudantes do gatola são os célebres Coisa 1 e Coisa 2 (Thing 1 e Thing 2), aqueles das camisetas vermelhas que todo mundo compra, também meio sem saber por quê… O delicioso filme “O Lorax” é baseado no livro homônimo, assim como “O Grinch”. Mas interessantes mesmo são os livros, poéticos e criativos, com ilustrações curiosíssimas do próprio Dr. Seuss.

 

Um pouquinho da obra do Dr. Seuss, tema de toda uma área na Universal Islands of Adventure
Um pouquinho da obra do Dr. Seuss, tema de toda uma área na Universal Islands of Adventure

 

O Gatola da Cartola, Coisa 1 e Coisa 2, na Seuss Landing
O Gatola da Cartola, Coisa 1 e Coisa 2, na Seuss Landing

 

Aproveite o fim de semana e vá até a livraria com as crianças! O mundo inteiro está esperando por elas nas prateleiras…

 

Mickey preparou uma surpresa pra você!

Você consegue avaliar a sensação do seu filho, ao chegar ao quarto do hotel na Disney, e se deparar com uma festa surpresa, preparada especialmente para ele, pelo Mickey “em pessoa”?

Eu vivi esta experiência e garanto que ficará em minha memória para sempre.

A Disneyworld oferece uma enorme gama de surpresas que podem ser entregues no seu quarto, desde que você esteja hospedado dentro do complexo do Walt Disney World Resort. As possibilidades vão desde balões, brinquedos e cestas de guloseimas, até as chamadas “In-room celebrations”. Você pode escolher uma festa de boas vindas ou de aniversário, com tema de piratas ou princesas, tem até opões para lua de mel e pedido de casamento!

Nós comemoramos o quinto aniversário do Dudu em Orlando, e encomendamos para ele uma dessas festas. No dia marcado, ao chegarmos no hotel, nos deparamos com uma linda faixa pendurada na porta do quarto!

 

Antes de entrar no quarto, o encanto já começou!
Antes de entrar no quarto, o encanto já começou!

 

Lá dentro, Dudu descobriu, maravilhado, as outras surpresas que o Mickey tinha preparado para ele: presentes, guloseimas, orelhas personalizadas, um porta-retrato assinado, um caderno de autógrafos com uma mensagem especial. Também um enorme balão musical e um banner. Um bolo de chocolate feito pela Minnie. E alguma coisa piscando atrás da cama… A Sininho passou para deixar um pouco de pó mágico!

DSC04469

DSC04470

DSC04471

DSC04472

DSC04475

DSC04477

 

Foi puro encantamento! Ele ficou tão emocionado que resolveu encontrar um jeito de agradecer ao Mickey. Pegou um guardanapo e um canudo, desenhou o querido ratinho e fez uma bandeira. No dia seguinte, em que fomos novamente assistir ao show Fantasmic no Hollywood Studios, a cada vez em que o Mickey surgia em cena, Dudu agitava a bandeirinha e gritava: Thank you, Mickey!!!

 

DSC00070

 

A festa que eu encomendei (Mickey’s Birthday Wish), custa hoje US$ 215,00. A Mickey and Pals Big Birthday Wish é mais “completa”, mas custa US$ 395,00. Há pequenas surpresas que começam em US$ 4,95, como o balão da Ariel escrito Happy Birthday. Enfim, possibilidades para todos os bolsos.

Para reservar sua celebração ou seu presente, entre no site da Disney Floral and Gifts e escolha a opção desejada. Depois, prepare o coração para presenciar a emoção do seu filho ao viver esse momento mágico!