5 lojas de roupa de criança em Paris

Algumas foram incontornáveis para mim há alguns anos, quando Dudu era bebê. Outras, são eternas. Algumas são meio caras, mas valem para aquela roupinha do batizado ou do casamento da titia. Outras, garantem o guarda-roupa básico a preços interessantes. Casuais ou chiques, são sempre lindas. Boas dicas para pais e avós que estejam pela capital mundial da moda.

No post 5 lojas de brinquedos em Paris, eu comentei sobre a Rue Vavin, pertinho do Jardin de Luxembourg, que é o paraíso das mães saudosas e avós exageradas. Quase todo o comércio da rua é de artigos infantis. A maioria das lojas citadas aqui têm uma filial neste endereço que eu adoro…

cópia de dpam

1) Du pareil au même

Desde que o Dudu tem uns 6 ou 7 anos, ela se tornou minha favorita. Roupas super “descoladas” para os meninos, diferentes do habitual. Mas, na verdade, tudo ali é fofo, seja para bebês, crianças e até adolescentes, de ambos os gêneros!

Há várias filiais, mas eu costumo comprar pertinho do meu hotel, no Boulevard Saint Germain 168.

 

2) Petit Bateau

É um ícone francês. O algodão que eles utilizam nos bodies, camisetinhas, pijamas e “underwear” é inigualável. Não é barata, mas vale à pena. Muitas vezes, fazem promoções super convidativas. Quando Dudu estava em fase de desfralde (na transição de bebê para menino grande 🙂 ) eu só comprava cuequinhas Petit Bateau.  A linha gestante deles também é excelente, atualmente tem bastante coisa até para adulto. Para os maiorezinhos, eu já fui apaixonada pelas roupinhas “sociais”, mas hoje em dia acho que deu uma caída… Não tenha dúvidas, porém, quanto à linha básica de itens de malha: você não vai encontrar melhores!

Você vai tropeçar nesta loja em todos os bairros, inclusive na Avenue des Champs Elysées. Para seguir o roteiro Rive Gauche (a margem esquerda do Rio Sena, onde eu mais gosto de me hospedar e passear), vou te dar um endereço em Saint Germain: 53 bis Rue de Sèvre.

 

3) Gap

Ok, nenhuma novidade, você já está cansada (o) de saber que a Gap é um dos melhores lugares do mundo pra fazer um enxoval de criança. Mas eu não poderia deixar de citá-la, para te lembrar de que ela também está presente em Paris e que, mesmo em euros, os preços valem muito à pena. Tem uma no Marché Saint-Germain, bem em frente ao Hotel Clément, onde sempre me hospedo. O endereço do shopping é Rue Lobineau 14, mas tem entrada pelas quatro ruas que formam a quadra, inclusive pela Rue Clément.

 

4) Jacadi

Roupas super clássicas e elegantes, para aquele evento especial. Dudu teve umas blusas de malha lindas, de manga longa e gola tartaruga, que o deixavam chiquérrimo! Rsrsrs As calças sociais são uma graça, de ótima qualidade. Você tem noção do que são os vestidinhos?!

A que eu costumava frequentar fica na Rue Vavin 26.

 

5) Geox

Aqui eu faço um pequeno desvio para uma recomendação de sapatos. Apesar de que a Geox tem uma linha bem bacana de roupas… Mas os sapatos são incríveis! A sandália de borracha é tão linda e confortável que, a cada ano, eu compro igual, um número acima. Eles tem uma tal tecnologia Geox Respira, em que a umidade não passa para dentro, somente para fora. E como ninguém é de ferro e mãe também é gente, aproveite para olhar a sessão feminina. Vai ser difícil resistir às sapatilhas e mocassins. O mesmo vale para a sessão masculina. Não é uma loja barata, mas a qualidade compensa cada euro investido, na minha modesta opinião…

Tem uma ali pertinho do hotel também , no Boulevard Saint Germain 144.

 

A boa notícia é que roupa de criança ocupa pouco espaço na mala. 😉 Agora é só ir às compras!

Vida de pirata na Disney

Um dos pré-requisitos para se tornar um autêntico pirata é saber cantar a plenos pulmões: Yo-ho Yo-ho, a pirate’s life for me! Para isso, as crianças contam com a divertida equipe de marujos do Magic Kingdom.

Em nossa última visita a Orlando, Dudu estava com 7 anos e era super fã do desenho Jake e os Piratas da Terra do Nunca, do canal Disney Junior. Nossas atividades “marítimas” incluíram a participação no Pirate’s League e um almoço com Jake “em pessoa”.

Photo 0094
O time de piratas, pronto para zarpar!

 

Ao lado do célebre brinquedo Piratas do Caribe fica o Pirate’s League, a versão pirata da Bibbidi Bobbidi Boutique. Lá, a criança (menino ou menina) pode se transformar em pirata ou sereia, com uma grande variedade de opções de fantasias e maquiagens. Dudu escolheu o pacote Jake and the Neverland Pirates, que, aliás, é o mais barato, pois a produção é beeeem mais simples: só a peruca com bandana e as costeletas (além dos itens que são comuns a todos os pacotes). Há todo um ritual de preparação: depois de caracterizado, seu filho ganhará espada, faixa e o cordão com a moeda da sorte, que garante entrada na sala secreta do Jack Sparrow. Então, ele receberá um nome oficial e um diploma de pirata, e participará de um desfile com os outros membros da “Liga”. Dudu detesta maquiagem, nem na festa junina ele me deixa pintar o “bigodinho”. Então, não permitiu que a adorável peruana que se encarregou dele fizesse as costeletas do Jake. Ele amou todo o processo, principalmente o segredo da sala do Capitão Sparrow… 😉

DSC04933
Hora da transformação…

 

DSC04936
Para ter os cabelos arrepiados do Jake, só com peruca!

 

Os pacotes variam entre U$ 30,00 (Jake) e U$ 75,00 (sereia luxo), e devem ser reservados pelo telefone: (407) 939-7895. Só são permitidas crianças a partir de 3 anos. Adultos são bem vindos!

DSC04938
Oficialmente um membro da Liga dos Piratas

 

Tudo pronto com meu “piratículo” (pra quem não sabe, é assim que o Capitão Gancho chama o Jake), então fomos para o cenário que fica do lado de fora da atração, onde  acontece o Captain Jack Sparrow’s Pirate Tutorial. Este “treinamento de pirata” acontece em horários pré-determinados, disponíveis na entrada do parque. É semelhante ao treinamento jedi, só que as crianças que sobem no palco são escolhidas aleatoreamente, na hora. Dudu deu sorte! Aprendeu a ser pirata com o mais famoso dos Sete Mares!

IMG_1015
O navio do Capitão Sparrow nunca teve um tripulante mais malvado

 

 

DSC04966
A equipe da Disney organiza o desfile
Photo 0040
A tripulação reunida

 

O show é muito bacana, e o ator que faz o Jack Sparrow… Você é capaz de jurar que está diante do Johnny Depp!

Photo 0089
Jack Sparrow em pessoa, treinando aspirantes a piratas!
Photo 0082
Instruções com o mestre
Photo 0078
Será que alguém vai andar na prancha?

 

Outra atração imperdível para piratinhas mirins é o almoço no Hollywood & Vine, no Disney’s Hollywood Studios. No Disney Junior Play’n Dine, seu filhote brinca com o Jake, a Doutora Brinquedos, a Princesa Sofia e o Manny Mãos à Obra. Nós sempre reservamos este Character Dining, em que os personagens variam segundo a moda da época: já foram os Mini Einsteins, o Agente Especial Urso, o palhacinho Jojo, enfim, eles estão sempre atualizados!

DSC05080
Encontro com Jake no Hollywood & Vine

 

 

O mais bacana foi quando o Jake viu a faixa da Pirate’s League do Dudu: fez a maior farra com ele, lutou espada com canudos, foi uma festa. Meu piratículo se divertiu aos montes, foi uma experiência inesquecível!

DSC05083
Esgrimindo com canudos!

 

IMG_1113
Pra ficar na memória…

 

Museu do Futebol: um programa incrível em São Paulo!

Hoje passamos uma manhã deliciosa no Estádio do Pacaembu. Nunca imaginei que fosse curtir tanto um museu inteiramente dedicado ao futebol. Dá pra avaliar o quanto meu filho – fanático pelo esporte – aproveitou a visita?

Dudu se esbaldou no Museu do Futebol
Dudu se esbaldou no Museu do Futebol

Logo na entrada, os visitantes são recebidos por funcionários que explicam coisas como, por exemplo, de que maneira as bolas eram feitas antigamente, ou qual o significado da taça Jules Rimet.

As orientações são dadas de forma simpática e atenciosa
As orientações são dadas de forma simpática e atenciosa
A taça do mundo é nossa!
A taça do mundo é nossa!
Todo mundo participa!
Todo mundo participa e aproveita

O museu ocupa um espaço gigantesco, oferecendo o que há de melhor em tecnologia, interatividade e conteúdo.

Logo na primeira sala, monitores permitem ao visitante rever grandes jogadas de ídolos como Pelé, Garrincha e outros, narradas pelos maiores nomes do jornalismo esportivo brasileiro. Dudu teve a oportunidade de ver Armando Nogueira comentando um gol fantástico, fruto da genialidade de Jairzinho, Pelé e Carlos Alberto Torres. Depois, reviveu momentos memoráveis do ídolo de todo torcedor botafoguense, o incomparável Garrincha.

Futebol-arte nas pernas tortas de Garrincha
Futebol-arte nas pernas tortas de Garrincha

Uma galeria de quadros, fotografias, reportagens e material artístico e publicitário conta um pouco da história desta paixão nacional.

Dudu posou com orgulho ao lado do Fogão de áureos tempos...
Dudu posou com orgulho ao lado do Fogão de áureos tempos…
O acervo é realmente extenso!
O acervo é realmente extenso!

Ao entrar no vão para subir ao piso superior, a barulheira te assusta: você está no meio da torcida! Diversos telões, alternando imagens e sons das principais torcidas brasileiras, provocam essa sensação de estar em plena arquibancada!

Em seguida, chega-se à sala das copas do mundo, em que um terminal multimídia representa cada um dos campeonatos, mesclando textos informativos, citações, imagens e vídeos de jogos e referências históricas relacionadas.

As melhores jogadas de todas as copas estão à disposição dos visitantes
As melhores jogadas de todas as copas estão à disposição dos visitantes
A história das copas despertou a curiosidade das crianças
A história das copas despertou a curiosidade das crianças

Após um filme que contextualiza o futebol na história do Brasil, passando pela política, as artes plásticas, a música, o cinema e a literatura, você entra na sala do “Rito de Passagem”: o espectador acompanha, ao som de batidas do coração, a derrota por 2×1 para o Uruguai na década de 50, que inaugurou uma fase de grandes triunfos do nosso futebol.

O museu continua em direção a uma sequência super interessante de salas, que mostram os elementos “indispensáveis” ao jogo, e também as regras, os recordes e as curiosidades.

As primeiras chuteiras tinham travas de madeira!
As primeiras chuteiras tinham travas de madeira!
Pra não restar nenhuma dúvida, esta é a tal regra do Impedimento...
Pra não restar nenhuma dúvida, esta é a tal regra do Impedimento…
Essa frase é do tempo em que ele não estava na política!
Essa frase é do tempo em que ele não estava na política
O carioca Dudu curtiu o totó. Nossa anfitriã paulista Carol prefere o pebolim. Melhores amigos, com sotaques diferentes.
O carioca Dudu curtiu o totó. Nossa anfitriã paulista Carol prefere o pebolim. Melhores amigos, com sotaques diferentes.
Dudu e nossa anfitriã paulista Carol, no campo do Pacaembu
Dudu e Carol, no campo do Pacaembu

Em mais uma série de atrações interativas, as crianças jogaram sobre uma tela no chão e cobraram pênaltis contra um goleiro virtual. A garotada fazia fila para chutar de novo, de novo e de novo…

Gooooool do Dudu!!!!
Gooooool do Dudu!!!!

Já de saída, no estacionamento do estádio, nos deparamos com uma placa super convidativa… E terminamos o passeio de uma forma bem paulista! 🙂

E tudo terminou em pastel!
E tudo terminou em pastel!

O Museu do Futebol fica na Praça Charles Muller, S/N, Estádio do Pacaembu. Abre de terça a domingo, das 9 às 17h. Quando tem jogo no estádio, há alteração de horários. Os ingressos custam R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Crianças até 7 anos, professores da rede pública e portadores de deficiência (com um acompanhante) não pagam. Aos sábados, a entrada é gratuita para todos.

A visita termina em uma loja bem bacana, que vende camisas de times nacionais e estrangeiros, chuteiras, bolas e diversas lembranças com o tema do futebol. Há um bar na saída, mas nenhum alimento ou bebida é vendido dentro do museu.

Em sua próxima visita a Sampa, não tenha dúvidas: o Museu do Futebol é um programa certeiro!

O Estádio do Pacaembu abriga esta atração imperdível em São Paulo
O Estádio do Pacaembu abriga este museu imperdível em São Paulo

.

Pascade: uma experiência gastronômica única em Paris

Em minha última passagem pela capital mundial da gastronomia, tive a sorte de conhecer este pequeno bistrô, pertinho da Opera Garnier. Estava por lá a trabalho, com três amigas, e saímos para jantar com a professora Gisèle Harboux e seu marido Christien, parisienses apaixonados pela boa cozinha.

A parisiense Gisêle Harboux, além de compartilhar conosco seu conhecimento sobre cadeias musculares, nos fez descobrir algumas delícias gastronômicas da sua cidade!
A parisiense Gisêle Harboux, além de compartilhar conosco seu conhecimento sobre cadeias musculares, nos fez descobrir algumas delícias gastronômicas da sua cidade!

O chef Alexandre Bourdas pratica sua arte na Bretanha, há bastante tempo, no restaurante SaQuaNa: célebre, concorrido e estrelado no guia Michelin. Recentemente, abriu esta versão mais despojada e mais acessível, no centro de Paris, aparentemente sem perder a qualidade.

A Pascade é uma receita típica da Páscoa na região dos Pirineus, e se trata de uma espécie de massa de pão, crocante por fora e macia por dentro, que serve como “ninho” para todas as criações culinárias da casa, de massas a peixes, de saladas a sobremesas. Segundo a descrição do site: “crépe suflê da região do Aveyron, ligeiramente caramelizado, guarnecido de composições extraídas de nossa inspiração gourmet”. Diferente e delicioso! O fato de que todos os pratos sejam servidos dentro da pascade provoca, ainda, um efeito estético bastante interessante.

Eu escolhi uma salada com salmão, queijo de cabra e mil outros detalhes. Fui a única do grupo a não optar pelo menu completo.
Eu escolhi uma salada com salmão, queijo de cabra e mil outros detalhes. Fui a única do grupo a não optar pelo menu completo.

Pode-se escolher o menu a preço fixo (32 euros), com entrada, prato principal , salada e sobremesa, ou então opções à la carte. As sobremesas são um sonho! Há bons vinhos para todos os bolsos. Vale dizer que, apesar de estar na moda, ter uma qualidade excepcional e estar muito bem localizado, o restaurante não vai exigir que você penhore as jóias da família para pagar a conta: não é super barato, mas é perfeitamente viável. É aconselhável, entretanto, fazer reserva (neste link).

As indescritíveis "mini pascades sucrées" ou "pequenas pascades doces".
As indescritíveis “mini pascades sucrées” ou “pequenas pascades doces”.

O Pascade fica na Rue Daunou 14, 75002. Abre das 12 às 23h, de terça a sábado.  Atenção: o restaurante fecha por 2 semanas em agosto, para férias (tipicamente francês…). É bom consultar o site para confirmar as datas!

A poucos passos do Palais Garnier, é uma excelente opção para depois do espetáculo. Não deixa de ser uma maneira de perpetuar a experiência artística, mesmo depois de fecharem-se as cortinas…

IMG_3758
Terminados os aplausos para o Ballet da Opera de Paris, começaram os suspiros pela arte de Alexandre Bourdas!

Amsterdã com crianças

A família Diab é figurinha fácil aqui no blog. Vira e mexe, eles aparecem, pois já vivemos belas aventuras juntos. No último verão, eles fizeram uma viagem fantástica à Europa e resolveram compartilhar com a gente a experiência. Minha amiga Anna me enviou um relato bem pessoal dos dias passados com Sérgio e as meninas na linda capital holandesa. Juliana estava com quase 8 anos, Mariana com quase 6. As duas aproveitaram demais e voltaram apaixonadas por esta cidade fascinante. Com a palavra, Anna Elisa Diab!

“Vamos falar sobre crianças em Amsterdã?
É uma cidade incrível!
Ficamos hospedados no hotel The America, localizado em frente ao Wondelpark – o Central Park de Amsterdã. Já vai a primeira dica: tem que rolar um piquenique lá! Claro que estivemos lá em julho e por isso foi possível fazer piqueniques 🙂 . O parque é uma delícia e o holandês realmente sai de casa nos dias de sol. Tem que aproveitar, né?
Voltando um pouquinho, o hotel é sensacional! Super localização, que compensa o preço um pouco mais caro. E é lindo!

A praça dos museus – Musemplein – fica ao lado do Wondelpark. Lá estão localizados os principais museus de Amsterdã: Van Gogh, o de arte moderna Stedelijk e o Rijks, onde estão obras clássicas de Rembrandt. É também nesta praça que tiramos a clássica foto I ❤ AMSTERDAN!

A Juju adorou ficar em cima do A
A Juju adorou ficar em cima do A

Bem, a primeira visita foi ao Museu Van Gogh. Incriiiiivel! As meninas ficaram fascinadas com as obras e a loja do museu. Sempre saíamos com sacolinhas rsrsrs… Na saída, vale um passeio ou piquenique na praça. Se for no verão, vale até esticar uma canga para descansar ao sol… O holandês adora isso!

Eu concordo com a Juju: Quarto em Arles também é meu Van Gogh favorito!
Eu concordo com a Juju: Quarto em Arles também é meu Van Gogh favorito!

O Stedelijk é de arte moderna e é igualmente incrível. Tem um ateliê para crianças, e o trabalho delas fica lá exposto. Não fomos ao Rijks e por isso teremos que voltar a Amsterdã 🙂 . Compramos todos os ingressos pelo site dos museus. Há filas na bilheteria, então é melhor comprar daqui.
Nos finais de semana do verão, tem uma feirinha na Musemplein. Acho que sempre vale visitar uma feirinha….

As meninas amaram o Stedelijk
As meninas amaram o Stedelijk
A produção artística das meninas ficou exposta lá no ateliê
A produção artística das meninas ficou exposta lá no ateliê
Juju e Mari se esbaldaram na Musemplein
Juju e Mari se esbaldaram na Musemplein

Nao pode faltar a visita à casa de Anne Frank. Impressionante! As meninas nem piscavam e ficaram grudadas em mim. Dá pra sentir realmente a carga de sofrimento da família que passou dois anos escondida da polícia nazista. O esconderijo é autêntico e bem preservado. Entramos pela passagem original: a famosa estante (famosa para quem leu o livro!), localizada nos fundos do local de trabalho do pai. É possível ver parte do diário original, escrito por ela, e recortes de revistas nas paredes do seu quarto. Comentário da Juliana ao final: ” mamãe, aqui dentro dá um negócio na gente…”. E o do Sérgio: ” Preciso tomar uma cerveja” rsrsrs. Comprar também pelo site!  Eu esqueci e enfrentamos uma hora e meia de fila! Mas valeu!

Amsterdã é uma cidade para conhecer a pé ou de bicicleta. Pode-se alugar bicicletas com cadeirinhas para crianças. Caminhando é possível encontrar cantinhos legais e surpreendentes: um restaurante argelino com mesas na calçada, uma pequena porta que dá acesso a uma grande galeria de arte ou uma loja de discos de vinil, que parece ter saído dos anos 70. Sem esquecer o trailer onde você come um arenque marinado maravilhoso, com uma cerveja! E o mercado de flores… Bom lugar para compras, mais barato que outras cidades européias.

Mercado de flores
Mercado de flores

 

Rua do comércio
Rua do comércio

Vale também o passeio de barco pelos canais. Mas tem que se assegurar de que o barco vai retornar para o ponto em que você embarcou: alguns fazem uma rota parcial. Pegamos um desses e paramos na estação de trem! Voltamos de taxi…

Não fomos no Red Light District por razões óbvias!”

Passeio pelos canais
Passeio pelos canais

 

Lindos canais de Amsterdã
Lindos canais de Amsterdã

Você ainda estava em dúvida se as crianças aproveitariam uma visita a Amsterdã? Pode fazer as malas! Anna querida, obrigada por dividir com a gente estas aventuras. Estamos todos esperando as próximas…

Dia da Criança Viajante

A alma da viagem
Viajar com o Dudu é tudo de bom!

O que significa viajar com uma criança? Por que levar os filhos? O que existe de tão especial em conhecer outros lugares ao lado deles?

Para mim, uma viagem é uma experiência afetiva, educativa, lúdica, emocional, até mesmo existencial. Quando viajo com o Dudu, tento criar uma atmosfera que torne cada momento uma experiência única. Eu me envolvo emocionalmente com cada detalhe. Em geral, escolho as atrações que quero visitar ou ver a partir deste envolvimento: o castelo que foi cenário de um livro especial, o quadro que estudei em história da arte na PUC, a madeleine que Proust molhou no chá. Quando essa referência não existe a priori, eu fabrico a referência. Por exemplo, lendo para o Dudu a obra do Dr. Seuss antes de ir à Disney, para que ele reconheça os personagens quando efetivamente os veja. Ou inventando histórias (na hora, de improviso mesmo!) para os monumentos antigos do British Museum.

Em resumo, o meu planejamento de viagem, mais do que criar um roteiro, tem como característica a atribuição de um sentido ao que será visitado. Um sentido vinculado ao afeto, à memória, à emoção, à história e às relações. Não importa se o Dudu vai “lembrar” de tudo. A experiência da viagem com os pais deixa marcas impressas para sempre na bagagem emocional, na construção dele como pessoa. Cada viagem foi um salto de amadurecimento muito perceptível, e cada viagem foi uma oportunidade para nós três nos fortalecermos como família.

Quando a gente sai de casa, entende melhor como é a nossa própria casa, pois percebe o que é diferente. Cada um desses fatores contribui para a formação de uma criança em todos os aspectos. Eu procuro cuidar dos preparativos de viagem de forma a potencializar isso e usufruir ao máximo deste processo delicioso.

Não tem nada melhor do que a experiência de tirar um tempo pra sair por aí com quem a gente mais ama. Só vivendo pra descobrir.

Feliz Dia da Criança Viajante para todos vocês!

Ainda pelo Norte da França…

Bem, na verdade eu já estou de volta… Mas gostaria de compartilhar mais um pouquinho dos momentos bacanas desta semana que passei no Pas de Calais. A região da França que faz fronteira com a Bélgica tem como capital a linda cidade de Arras. Toda aquela área foi palco, por vários séculos, de disputas territoriais entre a “França” (mesmo antes de existir, de fato, o Estado francês) e Flandres, que hoje constitui, basicamente, a Bélgica. Por isso, a arquitetura de Arras é muito semelhante à que encontramos em Bruxelas ou Brugges, por exemplo, com as praças rodeadas por típicas construções em estilo flamengo.

Arquitetura flamenga e delícias culinárias em Arras
Arquitetura flamenga e delícias culinárias em Arras

O centro da cidade é pequeno e pode ser percorrido facilmente a pé. Tanto a Grande Place como a Place des Héros são cheias de restaurantes, bares e lojinhas.

Grande Place
Grande Place
No fim da rua, a Catedral de Arras
No fim da rua, a Catedral de Arras
Grande Place, com o Beffroi (o salão comunal da cidade)
Grande Place, com o Beffroi (o salão comunal da cidade)

O belo edifício do Beffroi (salão comunal de Arras) é o ponto de partida para uma curiosa visita aos subterrâneos. O Norte da França atrai muitos turistas  interessados nos locais marcados pela Segunda Guerra Mundial, particularmente na Normandia. Arras faz parte deste circuito e tem uma considerável importância histórica neste sentido. Todas as caves (adegas) da cidade são interligadas no subsolo. Durante a guerra, uma famosa batalha terminou em derrota para a Alemanha, pois os aliados conseguiram passar todo um exército por baixo da terra, surpreendendo os inimigos. Para percorrer estes caminhos, é necessário fazer uma visita guiada.

IMG_3382
Beffroi d’Arras

Desta vez, só tenho fotos noturnas. Estava em Camblain l’Abbé a trabalho e só fui ao centro de Arras para jantar. Aliás, o restaurante marroquino La Mamounia, ao lado da Grande Place, é uma completa perdição. Atendimento excelente, ambiente agradável e a comida… Nem tenho palavras! Eu escolhi o tajine de boulettes (uma espécie de almôndega de carne de vaca e cordeiro), com ameixas, damascos e amêndoas. O carro chefe da casa é o Cuscuz Royal.

Jantar delicioso no La Mamounia
Jantar delicioso no La Mamounia

Para chegar em Arras, é só pegar o TGV (trem de alta velocidade) na Gare du Nord (Paris) ou no próprio Aeroporto Charles de Gaulle. A viagem dura entre 45 e 50 minutos. E o povo do norte é conhecido como o mais acolhedor do país!

Até breve, Arras!
Até breve, Arras!